Falta de fiscalização e de estacionamento são gargalos do trânsito local

O dia do motorista é comemorado nesta quinta (25 de julho), mas a avaliação da população de Camaçari em relação à postura dos condutores da cidade é negativa.

O vendedor de caldo de cana, Joaquim Lima Caridade, trabalha há dois anos em um cruzamento no centro e revela que já presenciou cenas de atropelamento por conta de conversão inadequada. “Aqui é difícil alguém respeitar o sinal. Muitos estacionam em frente à rampa para deficientes. Não respeitam nem idosos”, pondera o vendedor de 72 anos, que fica no ponto das 6h às 16h.

-Publicidade-
-Publicidade-
Estacionar em local inadequado  é comum na rotina do trânsito da cidade    

Na frente da loja de reparo de computadores de Gislaine Santos da Fonseca, no centro, também já aconteceram diversos acidentes. A proprietária destaca que os carros avançam a faixa de pedestres mesmo quando o sinal está fechado para veículos.

As principais infrações de trânsito, segundo agentes de trânsito de Camaçari, são dirigir usando o celular, andar sem cinto de segurança e desrespeito à faixa. Para o agente Pereira Joais, a educação no trânsito feita já nas escolas seria uma alternativa para a mudança dessa realidade. Já o agente Pedro Santos coloca a culpa no poder público, que, na sua opinião, deveria investir em sinalização.

A motorista Ângela Santana também aponta para a necessidade de ações de representantes políticos. “A cidade não tem onde estacionar, então motoristas param em qualquer lugar, inclusive no meio da rua”, aponta a propagandista de 32 anos.

Por Luana Almeida