Procon lança site para receber as reclamações dos consumidores

Teve seus benefícios de consumidor violados? A partir de agora, lutar pelos seus direitos ficou mais fácil. Foi lançado ontem, pelo Procon um site exclusivo para reclamações de produtos pela internet. O endereço vai funcionar como um local de conciliação de conflitos entre consumidores e lojistas.

O site www.consumidor.gov.br  está no ar desde o dia 22 de julho. “Esse endereço é um canal muito importante para os consumidores baianos, pois vai permitir uma maior inclusão da sociedade, já que alcança consumidores que moram em cidades que não possuem postos Procon, e agora vão poder registrar diretamente suas queixas contra as empresas. Vai permitir também o maior acesso dos consumidores hipervulneráveis, que são os idosos e deficientes físicos. Além disso, vai oferecer ao órgão e a sociedade, elementos que permitiram reconhecer os bons e os maus fornecedores,” explica o superintendente do Procon, Ricardo Soares.

-Publicidade-
-Publicidade-

O funcionamento será bem simples, após fazer um cadastro com dados pessoais no site, o usuário vai escrever sua reclamação e a empresa terá dez dias para responder, com uma solução para a situação.

O papel do Proconserá avaliar a queixa e servir como um conciliador, entre a loja, e o consumidor, e terá o prazo de 5 dias, após a resposta dos fornecedores, para isso. Depois desse processo cabe aos compradores avaliarem dando uma nota de 1 a 5 para o atendimento.

Todo o processo da reclamação, assim como a nota avaliadora do consumidor, ficarão disponíveis para a consulta, sendo protegido os dados dos compradores. “São 125 empresas já cadastradas, que estão recebendo notas dos seus compradores.

O site vai fornecer indicadores, e com isso vamos conseguir mensurar o nível de satisfação dos consumidores em relação a cada empresa, e isso vai nos oferecer um diagnóstico importante para a formulação de políticas publicas,”  diz Soares.

A nova modalidade de registro vai poupar tempo e dinheiro, tanto dos vendedores, quanto dos compradores. Até agora, quem precisasse registrar uma reclamação contra um site de vendas on-line,precisava ir até um dos postos de atendimento do Procon .

Com o portal, o consumidor não precisará mais ir até um desses postos, nem apresentar documentos na primeira etapa.

De acordo com o superintendente do Procon, Ricardo Soares, somente esse ano já foram registradas 65 mil queixas. Desde que o site foi disponibilizado, foram contabilizadas 200 reclamações. “À medida que as pessoas conhecerem essa ferramenta, o esperado é que esse número cresça. Temos um número que diz que 90% das causas levadas ao Procon são resolvidas fora da área jurídica, somente com a conciliação, com esse canal, isso só vai se fortalecer” pontua.

O principal objetivo é diminuir as filas nos postos de atendimento, e ter um alcance maior no serviço prestado pelo órgão.

Por enquanto, o site só receberá queixas contra operações feitas on-line, que estejam cadastradas no portal. A idéia é que, no futuro, o site seja usado para reclamações contra todas as empresas, de qualquer meio de consumo.

Entre as maiores reclamações dos consumidores estão os bancos, e à área de telefonia e internet. “Os campeões de reclamações são os vendedores de telefonia móvel, internet, canais de televisão a cabo, lojas de varejo, supermercados e companhias aéreas,” esclarece Soares.

Bom para quem compra:

De acordo com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL), Antoine Tawil, a iniciativa vai ajudar não só os compradores, como também os vendedores.

“Vai facilitar muito a vida dos varejistas, já que aquela pessoa que não ficar satisfeita com o serviço ou produto recebido, vai poder apresentar a sua queixa, e o lojista, especialmente o médio e pequeno, vai fazer a sua defesa por esse mesmo meio. Isso encurta distâncias e facilita muito, principalmente no que se refere ao tempo gasto esperando o Procon notificar. Hoje, esse tempo não existe mais, a resolução do problema será feita o mais rápido possível,” opina Tawil.

Caso o primeiro passo realizado pelo portal, não dê resultado, o Procon vai instaurar um processo administrativo, com a realização de audiência conciliatória com o consumidor e representantes da empresa.

Fonte: Tribuna da Bahia.