Operários paralisam atividades por tempo indeterminado

Após assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (07), 1.800 funcionários do metrô decidiram paralisar as atividades por tempo indeterminado. Jose Claudio Costa,  funcionário, afirmou que a decisão é em solidariedade à morte de Eldo Alves, na quinta-feira (06), mas também por conta das condições de trabalho. “Temos várias questões trabalhistas que devem ser discutidas, questões salariais e da nossa segurança”, afirmou.

 
Em nota, o  Sindicato dos Trabalhadores na Construção Pesada (Sintepav-BA) informou que paralisou as obras em todos os canteiros de obras do metrô da cidade. Paulo Roberto Santos, integrante do sindicato disse que a a Mobilidade Bahia, empresa terceirizada à CCR, precisar discutir as questões de “irregularidades e segurança das obras”. Procura, a assessoria da CCR disse que vai se pronunciar sobre o assunto com brevidade. Uma nova assembleia está marcada para segunda-feira (11).

-Publicidade-
-Publicidade-

 
Caso
O funcionário que caiu de um poste durante uma obra da CCR, concessionária que administra o metrô de Salvador, não resistiu aos ferimentos e morreu na tarde desta quarta-feira (6). A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação do órgão e pelo posto de Polícia Civil do Hospital Geral do Estado (HGE), para onde a vítima foi socorrida.

 
Eldo Pereira Alves, de 25 anos, deu entrada na instituição às 12h15 e morreu por volta das 14h em decorrência dos ferimentos sofridos durante a queda. Ele prestava serviço para uma empresa terceirizada em uma obra da CCR na região da Baixinha de Santo Antônio.

 
Segundo a polícia, o rapaz estava trabalhando  quando ficou preso ao poste por volta do meio por volta das 11h, e caiu na área do metrô. A vítima foi socorrida inicialmente por testemunhas que viram o acidente. Ele foi socorrido pelo Samu para o HGE.

 
Inicialmente, a CCR divulgou que ele teve apenas escoriações leves e que passava bem. Em contato com o Correio24horas, a Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba), informou que o homem trabalhava em uma obra de ampliação da linha do metrô.

 
O corpo dele será encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Salvador, onde passará por perícia antes de ser liberado para o sepultamento.

 
Fonte: Ibahia.