14 mil motoristas são multados por usar celular ao dirigir

Apesar de ser considerada infração de trânsito e pôr em risco a vida de condutores e pedestres, usar o celular enquanto dirige é uma prática cada dia mais comum entre os motoristas no Brasil.

Conforme dados da Transalvador, só este ano, na capital baiana, foram registradas 14.056 notificações desta infração. De acordo com a tabela do Detran, esta infração é a 4ª mais cometida pelos motoristas.

-Publicidade-
-Publicidade-

De janeiro a abril deste ano o órgão contabilizou quase oito mil infrações dessa natureza, quase dois mil a mais que o mesmo período do ano passado. Nos interiores do estado, este ano, foram notificados 20.413 condutores.

Usar o celular enquanto dirige é infração de natureza média, estabelecido no Artigo 252° Inciso VI do Código Brasileiro de Trânsito. A penalidade é multa no valor R$ 85,13 e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

O Major Genésio Luide alerta para os riscos dessa prática. “Em relação a segurança no trânsito, é provado que, mesmo utilizando de artifício como fones de ouvido ou a tecnologia “mãos livres”,  o uso do celular desvia a atenção do condutor e compromete a segurança no trânsito”, disse.

“Essa prática não é errada só para que conduz o volante, mas para os pedestres também, pois hoje, com o uso demasiado de Smartphones e afins e esses aplicativos de mensagens, muitos pedestres se envolvem em acidentes por estarem distraídos, de cabeça baixa, enviando mensagens ou acessando a internet”, completa.

Para o taxista Claudio Santos, o uso do celular é inevitável. “Tenho muitas corridas agendadas, os clientes ligam para ir buscar ou para desmarcar algo. Sei que distrai a atenção, mas nunca me envolvi em nenhum acidente por conta disso, graças a Deus. Infelizmente é um mal necessário”, diz.

Já o assessor de comunicação Eduardo Bonfim, usa o trabalho para justificar a infração. Já recebi multas, mas fazer o que? Meu trabalho é me comunicando o tempo todo, as vezes não dá para deixar de atender”, pontua. A estudante Eliane Cerqueira afirmou que evita a prática. “Principalmente porque estou com a carteira de habilitação provisória, então evito bastante. Mas confesso que quando paro na sinaleira, olho mensagem no wathsapp (aplicativo que permite enviar e receber mensagens instantaneamente). Mas ao dirigir sei que distrai e isso se torna perigoso”, afirma.

Patrícia Gomes, Funcionária Pública, também admite que a prática é perigosa, mas confessa que já cometeu essa infração. “Não é comum, faço esporadicamente, tento evitar, mas as vezes é impossível. Uma ligação de trabalho, um filho que está doente. Mas sempre que posso paro em algum lugar para atender ou ligar”, diz.

Um projeto de lei de autoria do parlamentar Carlos Bezerra (PMDB/MT) que tramita na Câmara dos Deputados, visa alterar o Código de Trânsito Brasileiro, tornando a infração, que hoje é considerada média, para gravíssima.

Outro projeto de lei também tramita na Casa, referente a permissão da utilização da tecnologia “hands-free”, ou seja, mãos livres, onde o som do celular é transferido aos alto-falantes do veículo para que o condutor possa falar sem utilizar as mãos.

Essa tecnologia funciona em qualquer telefone celular e em qualquer aparelho de som automotivo. Caso o projeto seja aprovado e entre em vigor, a multa passa para R$ 127,69 e o condutor terá mais cinco pontos na carteira.

O major Luide concorda com a lei que prevê o aumento da multa. “Por incrível que pareça no Brasil é de natureza Média. Sou a favor do aumento da multa, que considero relativamente baixa, e o valor cobrado já está a 13 anos congelado. Qualquer medida que torne a lei mais rigorosa é bem vinda. Quanto ao projeto do “hands-free”não concordo, porque mesmo com esse artifício, a prática continua desviando a atenção do condutor”, disse.

Na Inglaterra, desde 2007  que usar celular ao volante pode até dar cadeia.

Fonte: Tribuna da Bahia.