Adolescente morre em Camaçari após procurar por atendimento médico por mais de uma semana

Um adolescente de 16 anos faleceu na tarde desta quarta-feira (13), após procurar, durante dez dias, por atendimento médico nas unidades de saúde de Camaçari.

 
Segundo informações de familiares, Herlon Marcelino dos Santos compareceu algumas vezes na UPA da Nova Aliança, acompanhado pela mãe, sentindo dores na barriga.

-Publicidade-
-Publicidade-

Nenhum exame foi solicitado, o rapaz recebeu  uma medicação para a dor e orientado a voltar para casa. O caso de Herlon foi se agravando, até que ele foi parar no Hospital Geral de Camaçari (HGC), no dia 7 de agosto, sentindo muitas dores e sem poder andar. Ainda de acordo com familiares e amigos, o médico plantonista, na ocasião, disse à mãe que o rapaz estava com “manha”. O médico passou remédio para gases, liberando-o mais uma vez sem realizar  exame. Como a dor persistiu, a mãe do jovem voltou com ele ao HGC no dia posterior e disse que não sairia da unidade médica até que o filho fosse examinado e diagnosticado.

Reprodução Facebook.
Reprodução Facebook.

No domingo, dia 10, um médico convocou sua equipe, solicitou uma autorização dos familiares, que procuraram a médica pediatra do paciente. A mesma autorizou a realização de um procedimento cirúrgico, a abertura da  barriga. Mas já era tarde, pois o jovem  estava com infecção e morreu devido o apêndice ter estourado e infeccionado. Uma amiga da família informou à nossa reportagem que, segundo o hospital, a causa da morte teria sido uma parada respiratória. Os familiares pedem uma investigação do caso.

 
A nossa reportagem procurou o HGC, mas não encontrou ninguém para responder sobre o ocorrido.

Herlon era morador da Rua Décima do Parque, Gleba B, estudante do 9º ano no Colégio Municipal São Thomaz de Cantuária. O corpo de Herlon vai ser enterrado na tarde desta quinta-feira.

Redação Nossa Metrópole