Candidatos ao governo da Bahia se confrontam em primeiro debate na TV

Cinco candidatos ao governo da Bahia participaram nesta quinta-feira (28) do primeiro debate da eleição estadual, na TV Bandeirantes. Participaram do programa, mediado pela jornalista Carolina Rosa, Rui Costa (PT), Da Luz (PRTB), Paulo Souto (DEM), Lídice da Mata (PSB) e Marcos Mendes (PSOL). O programa foi dividido em cinco blocos, com candidatos respondendo a uma mesma questão, trocando perguntas e também respondendo questões de representantes da sociedade civil.

(Foto: Betto Jr)
(Foto: Betto Jr)

Houve alfinetadas, ironias e trocas de acusações centradas entre Paulo Souto e Rui Costa e também Lídice da Mata – Costa, representante do atual governo, foi alvo preferencial dos candidatos rivais. Candidatos com menor intenção de voto, Da Luz e Marcos Mendes acusavam os outros presentes de representarem um mesmo modo fracassado de fazer política.

-Publicidade-
-Publicidade-

“O candidato Paulo Souto abriu mão no horário eleitoral de fazer propostas para fazer agressões”, acusou Costa em determinado momento. A pergunta de Souto foi sobre uma fala de Costa dizendo que a Bahia precisava “dar um salto” de crescimento, como Ceará e Pernambuco. “Sobre infraestrutura, o senhor não deixou nenhum projeto na gaveta. O senhor não fez nenhuma proposta ao governo federal. Ceará e Pernambuco, mesmo sendo (governos de) partidos de oposição, foram ao presidente Lula e pediram recurso. Colocaram o interesse do povo em primeiro plano. Aqui, o senhor não deixou projeto nenhum. Por isso que eu falei que a Bahia precisa dar grandes saltos”.

“Eu lamento que o candidato não tenha respondido. Inclusive, todos os projetos de área de transporte e mobilidade estão contidos no Pelt (Programa de Logística e Infraestrutura), que foi entregue ao governo federal. Estão lá todos nomeados. Sobretudo, o seu governo teve felicidade de ter financiamento de 180 milhões de dólares para estrada em dezembro ainda, quando eu estava no governo. Mesmo assim passou de sexta para oitava economia do país. É 13º em competitividade. Isso é muito grave”, acusou.

Souto se classificou como um político “comedido, que não promete impunemente” – a expressão foi depois utilizada várias vezes por Rui Costa para ironizar o ex-governador. “Tenho sempre muito cuidado com isso, vou fazer as minhas propostas, mas que sejam realizáveis, que estejam dentro, por exemplo, do orçamento disponível”, defendeu. “A Bahia precisa de grandes projetos para se desenvolver (…) Essa coisa de dizer que é comedido… A Bahia ficou parada por muito anos por falta de iniciativa”, criticou Costa posteriormente. “A Bahia precisa de gente que tenha ousadia e vá buscar grandes projetos”.

Lídice e Costa também tiveram momento de confronto, quando a senadora afirmou que o petista ficou conhecido como “inimigo número 1” do servidor do Estado e que diz em seu horário político que fez tudo na Bahia, enquanto seus cargos sempre foram políticos. “Digo publicamente, quero que um sindicato, qualquer sindicato, diga qual foi a negociação que eu participei de 2012 até hoje. Alguém passou a informação errada para você, senadora”, afirmou Costa.

A segurança foi um dos temas de destaque do debate. Enquanto Souto afirmou que houve “um holocausto” na Bahia, com 37 mil vidas perdidas, Lídice acusou Costa e o PT de romperem diálogo com as polícias Civil e Militar. “Houve rompimento de confiança e de diálogo entre governo e polícias Civil e Militar”, disse a ex-prefeita de Salvador.

Entre as propostas, está o apoio à PEC 300, defendido por Marcos Mendes, e uma maior valorização dos policiais, como afirmou Da Luz. Rui Costa disse que pretende investir em melhorar a inteligência das polícias e trabalhar na prevenção dos crimes.

Fonte: Correio 24 Horas