Peça “Quem Ri por Último, Ri Melhor” estreia nesta sexta

Na sociedade do espetáculo, onde quase  todos querem ter um momento de fama, vale refletir sobre o desejo de estar constantemente sobre os holofotes ou em evidência nas mídias, sem esquecer da verdadeira essência.

Esta é a reflexão da comédia  Quem Ri por Último Ri Melhor, que leva ao palco os atores Danielle Winits, Júlio Rocha, Rainer Cadete e Sara Freitas. A peça será apresentado no Teatro Jorge Amado, nesta sexta e sábado, às 21 horas, e domingo, às 20 horas.

O texto original é do norte-americano Douglas Carter Beane e tem  adaptação de Artur Xexéo. Assina a direção Cininha de Paula.

Peça traz Danielle Winits, Júlio Rocha, Rainer Cadete e Sara Freitas a Salvador. Foto: Divulgação
Peça traz Danielle Winits, Júlio Rocha, Rainer Cadete e Sara Freitas a Salvador. Foto: Divulgação

Sexualidade escondida

Na trama, a atriz Danielle Winits interpreta Dione, uma famosa agente de atores que precisa proteger a imagem do  seu pupilo, o astro de TV Mateus (Júlio Rocha), escondendo a sua sexualidade do grande público.

Só que Mateus acaba se apaixonando por Alex  (Rainer Cadete), um garoto de programa, que tem uma namorada, Helena (Sara Freitas). Esta relação faz Mateus repensar suas escolhas.

“A ação é ambientada no Rio de Janeiro. Trouxe o texto americano para uma realidade mais próxima do nosso público. Tambem costurei a peça  com quadros intercalados”, informa  a diretora Cininha de Paula.

Ela também acrescenta que o humor imprimido à montagem brasileira  é diferente  do americano, “que ri de qualquer coisa e nós somos mais exigentes”.

Para Cininha, nesta peça, que confronta o lado pessoal e da carreira, “o humor tem uma linha mais direta de comunicação com o espectador”.

Cenário não realista

De acordo, ainda, com a encenadora, a peça não utiliza um cenário realista. “A iluminação transporta o público de uma cena para a outra”, entrega.

“O que mais me atrai na história são justamente essas amarras pessoais e sociais que criamos e que acabam por nos impedir de perseguir aquilo que verdadeiramente desejamos”, explica Cininha.

O espetáculo, que traz uma série de dilemas morais e éticos, flagrando os personagens em um momento no qual são obrigados a se confrontar e descobrir sua essência, tem cenografia de José Dias, figurinos de Sônia Soares e trilha sonora de Ricardo Leão.

Vivo em cena

A peça integra o  projeto cultural Vivo EnCena e  a programação do Catalogo Brasileiro de Teatro, coordenada por Fred Soares.

O projeto é uma iniciativa da Vivo que estimula o intercâmbio de projetos de artes cênicas com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento do país e da sociedade como um todo. O teatro é pensado além do espetáculo, sendo estabelecida uma rede de ações de formação de plateia e inclusão cultural.

Programe-se:

O quê: Quem Ri por último, Ri Melhor
Quando: Sexta e sábado, 18 e 19/09, às 21h, e Domingo, 20, 20h
Onde: Teatro Jorge Amado
Quanto: Sexta: R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia) | Sábado e domingo: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia)

Fonte: A Tarde