Espetáculo “Romeu e Julieta” chega ao TCA

Obra clássica,  imortalizada pelo dramaturgo inglês William Shakespeare (1564-1616),  Romeu e Julieta, uma das mais populares e trágicas histórias de amor de todos os tempos, ganha nova leitura no palco.

Desta vez, a iniciativa é da São Paulo Companhia de Dança (SPCD),  numa versão especialmente criada pelo coreógrafo italiano Giovanni Di Palma, que também assina a encenação.  Os  bailarinos  sobem ao palco para mostrar uma  emocionante história de amor proibido, envolvendo dois jovens enamorados, filhos de famílias rivais.

A montagem, que tem música de Sergei Prokofiev (1891-1953), é dividida em dois atos e dez cenas e será apresentada  no Teatro Castro Alves,  sexta e sábado, às 21, horas,  e domingo, às 20 horas.

Os bailarinos Nielson de Souza e Luiza Lopes interpretam "Romeu e Julieta". Foto: Divulgação
Os bailarinos Nielson de Souza e Luiza Lopes interpretam “Romeu e Julieta”. Foto: Divulgação

Baianos em cena

“Eu queria um Romeu negro para representar a diferença étnica do Brasil.  E quem faz este personagem é o bravíssimo baiano Nielson Souza,  que faz par romântico com Julieta, personagem de Luiza Lopes (SP)”, afirma o coreógrafo Giovanni Di Palma, um dos grandes nomes do cenário da dança atual.

“O outro baiano, também um excelente bailarino que participa da montagem, é  Lucas Valente, que interpreta Frei Lourenço”,  complementa. O espetáculo  tem 1h30m, com pausa de 20 minutos no intervalo.

Em tempos em que a intolerância racial ainda é uma realidade, Giovanni di Palma sinaliza a atualidade da obra do bardo inglês, pois  Romeu e Julieta    também trata da incomplacência, da hipocrisia das convenções sociais e dos jogos de poder.

Efeitos cinematográficos

Esta não é a primeira parceria do  coreógrafo Giovanni di Palma com a SPDC – ele já remontou a obra Supernova (2009].  “Eu busquei, neste espetáculo, um efeito cinematográfico. O primeiro ato é mais divertido, mais leve, o segundo ato é mais dramático”, entrega.

Para Giovanni, o maior desafio neste trabalho “foi explicar aos bailarinos um modo de interpretar apropriado para um balé deste gênero”. Ele frisa que ficou muito feliz com o resultado, “pois os bailarinos dançam muito bem”.

“O espetáculo Romeu e Julieta é a primeira obra narrativa criada especialmente para a companhia pelo coreógrafo italiano Giovanni Di Palma”, afirma a diretora artística da SPDC, Inês Bógea.

Ele salienta que, quando foi fazer a programação da Companhia para o ano de  2013, o  grande tema pensado foi amor, vida e morte. “Chegamos a Romeu e Julieta, mas queríamos uma criação original.  Pensamos que isso seria um belo desafio”.
Outras atividades

Nesta quarta-feira, 24, às 19h30, acontece o Bate Papo com a SPCD (palestra para os educadores), com a exibição do documentário Figuras da Dança – Lia Robatto, na Escola de Dança da Ufba.

A SPCD apresenta também   espetáculos abertos para estudantes e terceira Idade, sexta-feira,  25, às 15 horas, no TCA. Sábado acontecem as oficinas de dança Técnica de Balé Clássico e  Repertório em Movimento, das 10h às 11h30, e das 12h às 13h30, respectivamente, na Sala de Ensaio do BTCA do Teatro Castro Alves.
Depoimentos

O bailarino Nielson Souza, 24,   criado em Massaranduba, diz que nunca pensou em ser o bailarino principal de uma coreografia. “É uma emoção especial  se apresentar em Salvador. Saí pela dança  e volto mostrando que consegui meus objetivos”, exulta.

Já Lucas Valente, nascido no município de Livramento de Nossa Senhora, conta: “Sou o único que dança descalço e com uma grande batina”.

Fonte: A Tarde

comfiaço