Oposição de Camaçari denuncia arbitrariedade durante ato político

Como já era de se esperar, os partidos políticos aproveitaram o desfile cívico em comemoração ao aniversário da cidade para colocar as bandeiras nas ruas e fazer o corpo a corpo, nos últimos dias que antecedem as votações das eleições 2014.

O líder da oposição e candidato a deputado estadual pelo DEM, Elinaldo, foi acompanhado no desfile por mais de duas mil pessoas. “Fiquei muito feliz com a demonstração de carinho da população”, disse Elinaldo. E acrescenta, “minha campanha foi modesta em relação aos recursos, mas excepcional na mobilização popular”. Elinaldo disse também que vai aproveitar os últimos dias para a eleição para intensificar o contato com os eleitores.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Outros políticos que representam a oposição no município também participaram das manifestações realizadas durante o ato cívico.

Segundo o presidente estadual do PTN, Maurício de Tude, o grupo foi impedido por homens do Tiro de Guerra de prosseguir o desfile político pelas ruas. Ainda de acordo com ele, os mesmos fizeram um cordão de isolamento para facilitar o desfile do bloco do PT. Acompanhando Maurício de Tude, estavam o candidato a deputado estadual, José Tude (PTN), o ex-presidente da Câmara Municipal, Waldy Freitas, os vereadores Zé do Pão (PTB) e Sessé Abreu (PRTB) e dirigentes do PMDB. Na confusão, houve troca de agressões entre militantes do PTN e seguranças do PT. O episódio é mais um capítulo da disputa política entre os dois grupos. O PTN já prestou queixa na polícia contra o Partido dos Trabalhadores, por ameaça com arma de fogo, e denunciou à Justiça Eleitoral a destruição de material de propaganda. A Polícia Militar não se envolveu no caso, mostrando um comportamento imparcial.

Redação Nossa Metrópole / Com informações da Ascom