População sofre com poluição sonora em Camaçari

É difícil encontrar alguém que nunca tenha se irritado com o barulho ensurdecedor dos carros de som que circulam por Camaçari. Basta dar uma volta pela cidade, principalmente no centro, para verificar a desordenada veiculação dos chamados “carros de som”, o que piorou, e muito, desde o início da campanha eleitoral.

Até o fim do pleito, comerciantes e moradores terão que conviver com o infortúnio. Proprietário de um comércio situado no centro da cidade, Silvane Castro diz que é quase impossível ouvir os clientes no momento em que o carro de som circula. “Até para falar ao telefone é complicado, o volume é muito alto e acaba atrapalhando a conversa”, diz o comerciante, que muitas vezes tem que interromper o atendimento por não conseguir ouvir o cliente.

boticario-mãe

A funcionária do comércio, Ana Paula Soares, diz que a situação piora quando os veículos param no semáforo. Segundo ela, parece que os condutores aumentam mais o volume do equipamento de som. Ainda de acordo com a profissional, o problema se agrava mais aos sábados, quando a campanha eleitoral é mais intensa.

Apesar da “baderna”, existem regras que devem ser obedecidas. Em Camaçari, o Capítulo 5 da Lei Orgânica Municipal trata das emissões sonoras no perímetro urbano. Segundo o artigo 88, é proibido perturbar o sossego e o bem estar público com sons e ruído que causem incômodo de qualquer natureza e que ultrapassem os limites fixados na referida lei. Para os níveis de sons e ruídos deve ser observado o disposto na Norma NBR 10.151 da ABNT – Associação Brasileira de Normas que é de 70 dB (setenta decibéis), no período compreendido entre 7h e 22h. Além disso, devem ser obedecidas outras regras, como o distanciamento por um raio de 200 metros dos locais definidos como Zona de Silêncio como: hospitais, escolas, creches, bibliotecas públicas, clínicas, sanatórios, postos de saúde ou similares.

DSC_0391 DSC_0392

Impactos da Poluição Sonora

Na nossa saúde: O ruído em excesso pode afetar o sistema nervoso e causar estresse. Os efeitos do excesso de ruído não são repentinos, ou seja, por exemplo, ouvir um ruído forte um dia não tem consequências, mas ouvi-lo durante um tempo prolongado pode causar até surdez. Os especialistas destacam alguns efeitos negativos como: redução da capacidade auditiva; perturbação do sono; interferência com a comunicação; interferência na aprendizagem e efeitos fisiológico, tais como a hipertensão, taquicardia, arritmia, desassossego, entre outros.

problemas-com-barulhos(1)
Serviço

Em Camaçari, o setor de Fiscalização Integrada da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) é o órgão responsável pela fiscalização e aplicação da punição das irregularidades. Quem estiver se sentido prejudicado deve entrar em contato pelos telefones (71) 9979-5147 / 9979-8336 / 9989-7874 / 3621-6734 / 3621-6749.

Fernanda Melo / Redação Nossa Metrópole