26 ônibus já foram assaltados nas estradas da Bahia

Viajar de ônibus intermunicipal tem se tornado um risco constante. Este ano, foram 26 assaltos na Bahia, conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O número, no entanto, equivale apenas ao primeiro semestre do ano, porém, só no mês passado, em apenas 10 dias, houve sete assaltos a ônibus registrados pela PRF.

Conforme o chefe substituto do Núcleo de Comunicação da Polícia Rodoviária, Roberto Garcia, os casos registrados em setembro envolviam uma quadrilha específica, que já foi presa.  “Houve uma intensificação nesse período, na região da BR-116, próximo a Feira de Santana. Esses assaltos foram praticados por uma quadrilha composta por sete homens, que já foi detida em uma operação conjunta com a Polícia Federal e Militar”, afirmou.

-Publicidade-
-Publicidade-

Ele disse ainda que os casos ocorreram na madrugada e junto com os assaltantes presos foram encontrados pertences dos passageiros. “Nesse período houve uma operação especial devido ao grande número de assaltos, até chegarmos aos autores do crime”, pontuou.

Garcia orienta aos passageiros a evitarem lugares sem movimento e viajar somente com os pertences essenciais. “O ideal é viajar com objetos de menor valor e também ficar atento a qualquer sinal de uma atitude suspeita. Às vezes o passageiro percebe uma atitude estranha e não informa. Um exemplo é uma movimentação nas paradas em postos de gasolina, já aconteceu deles se prepararem nesse postos e minutos depois anunciar o assalto. Outro exemplo é quando entra duas pessoas juntas, sentam em cadeiras separadas mesmo tendo assentos disponíveis”, afirmou. Conforme ele, caso o indivíduo perceba qualquer atitude suspeita, é necessário informar ao motorista do ônibus ou ligar para a polícia no 190, e não precisa se identificar.

Em 2013, o total de ocorrências chegou a 94 registros. O chefe de Comunicação ressalta também a importância de registrar o BO (Boletim de Ocorrência). “A polícia não é onipresente, não consegue estar em todo lugar o tempo todo. Então contamos com a colaboração das pessoas. Muitos assaltos a gente não toma conhecimento, isso dificulta as nossas ações de prevenção e combate. Os registros de assaltos servem como subsídio para agirmos de forma mais eficiente”, disse.

Abdul Ramid, coordenador de Fiscalização da Agerba (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia), disse que algumas medidas já foram tomadas, apesar de não ser competência do órgão.

“Isso é uma questão de Segurança Pública, os assaltos começam nas estradas, e isso foge da competência da Agerba, que é um órgão que regula e fiscaliza o transporte, porém, ainda assim, algumas medidas foram tomadas para evitar esse tipo de prática. Ano passado tivemos uma reunião com a Polícia Militar e Rodoviária, devido ao número de assaltos nos locais chamados Brasilgás e Jaqueira, pontos de parada dos ônibus intermunicipais, e foi proibida a parada. Toda linha intermunicipal que sair do Terminal Rodoviário os motoristas estão orientados a não pararem nesses dois locais”, explicou.

Na Rodoviária de Salvador existe um posto de delegacia de furtos e roubos de transportes coletivos. “Esse serviço presta atendimento em casos de assaltos e facilita o trabalho da polícia”, disse.

Fonte: Tribuna da Bahia

comfiaço