Base Comunitária disponibiliza acesso à internet

Recém-inaugurada, a Base Comunitária de Segurança de Camaçari, localizada à rua Campo Formoso, no Phoc II, já disponibiliza os serviços de acesso à internet e informática básica do CDC (Centro Digital de Cidadania) para toda a população. Interessados em participar de cursos do programa Trilha Digital também já podem ir ao local realizar uma pré-inscrição.

Aqueles que precisam usar os serviços de internet para realizar um trabalho escolar, por exemplo, podem utilizar os computadores do CDC gratuitamente, de segunda a sexta-feira, das 8 às 12h e das 13 às 17h. A iniciativa é realizada entre a Secti (Secretaria da Ciência, Tecnologia e Informação) e a SSP (Secretaria da Segurança Pública) da Bahia.

-Publicidade-
-Publicidade-

Para ter acesso ao serviço, basta levar RG e realizar um cadastro. A Base Comunitária é a 16ª unidade da Bahia e a 2ª da região metropolitana.

A Base traz o conceito de polícia comunitária cujo objetivo é integrar a comunidade com a polícia. O programa de segurança contempla as comunidades dos bairros Gleba E, Gleba C, Burissatuba, Dos Quarenta e Seis e Phocs I, II e III.

CURSOS EM BREVE

O coordenador do CDC (Centro Digital de Cidadania), o soldado Diêgo Araújo, conta que já inscreveu dois projetos junto a Secti (Secretaria da Ciência, Tecnologia e Informação) para ministrar os cursos de segurança digital e informática básica na unidade. O soldado é analista em sistemas e já realiza trabalho social em outras organizações.

A população pode ir ao local e realizar uma pré-inscrição indicando qual horário e turno têm interesse. O número de turmas depende da procura e disponibilidade da equipe. Os horários das aulas serão definidas após aprovação da secretaria estadual e de acordo com os interesses manifestados na pré-inscrição.

Toda a população pode, inclusive policiais lotados em outras companhias e batalhões, levar uma ideia de curso a ser ministrado nas instalações da Base Comunitária de Segurança de Camaçari. A equipe recebe a ideia e inscreve para que o pleiteante, por exemplo, possa dar cursos na localidade, voluntariamente.

Fonte: Ascom / PMC