Tarifas de ônibus serão reajustadas anualmente em Salvador

Os consórcios Plataforma, Ótima (antes chamado de Jaguaribe) e Salvador Norte começam em 1º de janeiro a operar as linhas de ônibus do subúrbio, do miolo e da orla da capital, respectivamente.

Seus representantes participaram ontem no Palácio Thomé de Souza da assinatura do contrato entre a prefeitura de Salvador e as empresas vencedoras da licitação das linhas de ônibus urbanos.

-Publicidade-
-Publicidade-
650x375_acm-neto_1458736
Contrato de exploração assinado na gestão de Neto permite ajuste de tarifa nos dois primeiros anos

Atingindo atualmente oito anos de uso, a idade média da frota vai ser reduzida para três anos já a partir do primeiro dia de 2015, como disse o secretário de Urbanismo e Transportes, Fábio Mota, presente à assinatura, ao lado do prefeito ACM Neto.

Para modernizar a frota de coletivos da cidade, 630 novos veículos serão inseridos no sistema pelas empresas, totalizando 2.426 ônibus convencionais e 300 micro-ônibus nas ruas.

Reajuste

As tarifas passarão a ser ajustadas anualmente, conforme o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), nos dois primeiros anos, e a um cálculo predefinido no edital de licitação, nos 23 anos subsequentes de contrato.

Apesar do reajuste previsto para janeiro de 2015, mudanças operacionais só poderão ser notadas de médio a longo prazos, como lembrou o prefeito ACM Neto. Essas mudanças dependem, segundo Mota, de estudos da prefeitura – até setembro do ano que vem – para reordenar as linhas atuais da cidade. A partir daí, trechos extensos serão reduzidos ou até extintos e a frota redistribuída nos bairros.

“Faltou planejamento ao sistema de transporte em Salvador”, analisa Mota. “As linhas aqui são como puxadinhos, foram se estendendo conforme a demanda”.
Acessíveis na sua totalidade, os novos veículos vão ter as catracas posicionadas na parte dianteira. Três cores – amarelo (subúrbio), verde (orla) e azul (miolo) – vão ser utilizadas nos corredores.

Apesar das mudanças prometidas, as empresas de ônibus seguem as mesmas. O presidente do consórcio Salvador Norte, Marco Antônio Trinchão, negou que houve um acordo entre empresários para evitar concorrência. Ele alega que empresas metropolitanas entraram no sistema. Entretanto, como já publicado por A TARDE, essas empresas são ligadas às que já operam em Salvador.

Fonte: A Tarde