População aguarda ansiosa inauguração da nova UPA

“Na hora da ‘precisão’ ter uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) aqui perto e que atende 24 horas vai ser muito bom para todo mundo”, comentou o ajudante de mecânica Armando Santos, de 52 anos, morador há dez anos da rua Alvorada, no bairro Gravatá. Ele e demais moradores aguardam a inauguração no próximo sábado (06/12) da UPA Gleba A/ Gravatá. A unidade entra em funcionamento a partir das 7h.

“Esperamos que tenha bastante médicos para nos atender”, comentou o microempreendedor individual Silas Félix, de 22 anos. A administração da unidade adianta que a UPA vai contar com três médicos clínicos e dois pediatras, dois enfermeiros, oito técnicos de enfermagem, um farmacêutico, um assistente de farmácia, um assistente social, um nutricionista, um técnico de imobilização, além de 20 profissionais da área administrativa e de serviços gerais.

Toda a estrutura disponibilizada pela unidade torna mais próximo os serviços médicos para pessoas como a estudante de administração Daiane Alves, de 27 anos, moradora da rua 20, na Gleba A. “Vai ser um grande alívio, com mais UPAs. Não vamos mais ter que ir nas UPAs da Gleba B e Nova Aliança, que são boas, mas é melhor algo mais perto da gente”, frisou. “Minha mãe, por exemplo, é hipertensa e minha irmã tem uma filha recém-nascida. Nem sempre temos carro disponível para irmos para unidades médicas”, complementou a estudante Daiane Alves.

Mais próxima da população da região, a unidade é 100% informatizada e todos os procedimentos do atendimento serão feitos através de prontuário eletrônico. Assim, toda vez que os pacientes forem à UPA os médicos e enfermeiros poderão saber com maior agilidade o histórico clínico dos pacientes.
A vizinha de bairro, a comerciante Rosimeire Neres, de 46 anos, moradora e dona de ponto comercial na rua Humberto Campos, acredita que a nova unidade vai diminuir o movimento no HGC (Hospital Geral de Camaçari). A comerciante se refere ao fato da UPA ser uma unidade intermediária entre as unidades básicas e hospitalares, e que possui serviços de média e alta complexidade.

“Aí quando a gente tiver uma dor de cabeça, um mal-estar, um corte, não vai procurar o HGC, vai para a UPA que está perto e, em casos mais graves, um atendimento rápido faz toda a diferença”, comentou a comerciante. Com sala de radiologia, laboratório com resultado dos exames em até 24 horas, e eletrocardiograma, é possível saber a gravidade do estado do paciente e adotar os procedimentos adequados.

Fonte: Ascom / PMC