Oposição de Camaçari se pronuncia sobre rompimento entre Caetano e Ademar

O líder da oposição em Camaçari, vereador Antonio Elinaldo (DEM), disse hoje (09) que o ex-prefeito Luiz Caetano (PT) não vai conseguir fugir da responsabilidade pela “péssima” gestão do sucessor Ademar Delgado (PT). “Caetano é o grande padrinho político de Ademar. Manteve no governo do sucessor seus principais secretários e indicados. E deixou um legado administrativo e político, sempre dizendo aos quatro cantos que a Prefeitura estava em boas condições financeiras, o que nós, da verdadeira oposição, sempre questionamos. A prova de que estávamos certo é que Camaçari hoje enfrenta enormes dificuldades e segue estagnada”, afirmou Elinaldo.

Para o vereador, Ademar Delgado assumiu a “herança maldita” de Caetano e, por conta disso, encontrou uma Camaçari com “enormes dificuldades”. “Agora, numa manobra política, Caetano tenta se livrar do problema rompendo com Ademar. É uma tentativa de fugir da responsabilidade. Mas a população sabe que nós é que fazemos a verdadeira oposição, nós é que fiscalizamos o governo petista em Camaçari como fizemos na época de Caetano e denunciamos a forma desastrosa com que o ex-prefeito administrava a cidade”.

-Publicidade-
-Publicidade-

Elinaldo acredita que a população reconhece a presença de Caetano na gestão de Ademar Delgado, bem como da deputada estadual Luiz Maia. “Já pensando nas próximas eleições, ano que vem, anunciam um rompimento como manobra política. Depois de terem ficado dois anos no governo e indicado centenas de cargos comissionados, a digital de Caetano e da deputada Luiza Maia não vai sair da mesa do prefeito Ademar. Essa digital sempre estará presente em toda a estrutura administrativa de Camaçari nessa gestão”.

O vereador finalizou afirmando que Caetano e Luiza Maia participaram diretamente das principais decisões da gestão de Ademar Delgado. “Eles também são responsáveis pelo caos administrativo que se instalou na cidade. Eles se utilizaram da estrutura da Prefeitura para eleger parentes na Câmara Municipal de Camaçari e para suas próprias campanhas a deputado federal e estadual. Tanto que só anunciaram o rompimento após o período eleitoral de 2014”.

Fonte: Ascom / Vereador Elinaldo