Manicure leva golpe pelo celular de R$ 15 mil

“Urgente! Seu celular foi sorteado na recarga premiada na promoção sorte na palma da mão. Mais informações, ligue grátis para 03185-0000-0000”. Quem nunca recebeu mensagem similar a esta e ficou feliz em saber que foi contemplado com prêmio? No entanto, é preciso cuidado, pois o sonho pode virar pesadelo.

Foi o que aconteceu com uma manicure de 24 anos, que mora no bairro de Brotas. Ela caiu no golpe e, sem que percebesse, foi orientada a transferir R$ 15 mil para uma conta bancária.

No sábado, 20 de dezembro de 2014, após realizar uma recarga de R$ 7, ela recebeu um SMS informando que havia ganhado R$ 30 mil e uma moto. Para receber o prêmio, bastava ligar ou mandar mensagem para um determinado número.

Muito feliz, ela mandou a mensagem e, minutos depois, recebeu ligação de um homem que se identificou como Douglas Fontineli de Lima. Ele a orientou a ir até um caixa eletrônico e fazer alguns procedimentos.

“Não desconfiei, parecia uma central de ligação. Ele me ludibriou, fiz uma transferência para a conta dele achando que estava fazendo para a minha”, lamenta a manicure.

Vítima manteve contato pelos números (85) 8752-1663 e (85) 8900-2442
Vítima manteve contato pelos números (85) 8752-1663 e (85) 8900-2442

Pesadelo
Segundo ela, após realizar a transação, o golpista pediu que o comprovante fosse colocado em um envelope e depositado no caixa. Ao perceber o golpe e sem saber o que fazer, ela continuou ligando para o número até o dia 25 de dezembro e foi informada pelo bandido sobre a fraude.

“Ele me disse que tinha caído no golpe. Fiquei desesperada e disse: ‘Menino, isso não é justo comigo’. Ele deu uma gargalhada e respondeu: ‘Gastei tudo com pó e maconha'”, revela ela.

Com problemas renais e sem poder trabalhar, ela estava juntando o dinheiro para abrir um salão e cuidar da saúde. “Estou vivendo apenas com um salário mínimo. Mas é pouco, pago aluguel”.

Após tomar ciência do fato, ela foi até a Delegacia da Lapinha (2ª DT) para registrar ocorrência, mas foi informada por um policial que nada poderia ser feito, já que ela mesma fez a transferência.

Desconfie sempre

O delegado Charles Leão, coordenador do Grupo Especializado de Repressão aos Crimes por Meios Eletrônicos (GME), da Polícia Civil, orienta sobre como evitar esses golpes: “Desconfie sempre, nunca deposite nada a título de cadastro prévio. Procure qualquer Delegacia Territorial, os policiais estão orientados a registrar a ocorrência’”. Segundo ele, a identificação do criminoso não é fácil, mas não é impossível. “Essas quadrilhas são de outros estados, o que dificulta a comunicação entre a polícia e as gerências dos bancos. Quando a polícia fica sabendo, eles já sacaram o dinheiro”, diz Leão.

Fonte: A Tarde