Liquida Salvador vai sortear quatro carros e 20 motos

Cerca de 7,5 mil pontos de venda vão participar da edição deste ano da Liquida Salvador, que será realizada entre os dias 27 de fevereiro a 9 de março. Criado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL), o evento está na 17ª edição e promove descontos e sorteio de prêmios aos clientes.

Segundo o presidente da CDL, Frutos Dias Neto, a expectativa deste ano é aumentar o volume de vendas em 10%, quando comparado ao ano passado, apesar do desaquecimento da economia brasileira e do comércio baiano.

“A expectativa é renovar o estoque e estimular os consumidores a ir ao mercado, apesar das dificuldades e das expectativas negativas. Em uma situação como essa, os lojistas serão mais agressivos em seus descontos e muito provavelmente o consumidor terá motivos para aproveitar as promoções”, afirmou.

Um carro de luxo, modelo Audi A3 sedã, que pode chegar a quase R$ 135 mil, três Toyota Hatch e 20 motocicletas são alguns dos prêmios para os tradicionais sorteios. Em anos anteriores, a cada R$ 25 em compras, o consumidor recebia um cupom para participar. O valor do cupom deste ano ainda não foi divulgado.

Esta edição promete a participação de novos setores. Mais detalhes sobre o evento deste ano serão divulgados na coletiva de imprensa que será realizada pela CDL na próxima semana.

Para ampliar a participação, a CDL vai investir na divulgação na internet, principalmente para alcançar o público mais jovem. “Dificuldades e clima de insegurança, sem dúvida, geram uma oportunidade de mais descontos para os consumidores fazerem aquisições importantes e com vantagens”, diz Frutos Dias Neto.

Esforço

Segundo o especialista em varejo e fundador da consultoria Varese Retail, Alberto Serrentino, o calendário promocional do varejo é “fundamental” como ferramenta de alavancar as vendas e criar o impulso de compra nos consumidores.

“Não é que a liquidação tenha um poder mágico, mas tem o efeito de ter, em sincronismo com ações e campanhas das empresas, ofertas atraentes. Isso movimenta e gera um estímulo de compra”.

O preço será determinante para este momento do varejo, analisa o presidente do Sindicato dos Lojistas da Bahia, Paulo Motta. “O que decide hoje no varejo é o preço. Quem conseguir negociar com seus fornecedores e levar preços menores para as prateleiras, vai levar o consumidor para a área comercial”, afirma Motta.

Fonte: A Tarde