Lixo hospitalar é descartado em área residencial de Vila de Abrantes

Uma grande quantidade de lixo hospitalar foi descartada em um terreno baldio, que fica entre dois condomínios na localidade do Parque São Jorge, em Vila de Abrantes, no município de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. No local foram encontradas seringas, caixas para coleta de materiais perfurcortantes utilizadas para armazenar restos de materiais infectados, além de frascos de medicações injetáveis até documentos com papéis timbrados do Hospital São Rafael.

001 002 003

O estudante Mateus Abreu, que mora próximo ao local com os pais e irmão, diz que a comunidade está preocupada com os riscos que podem correr com o material hospitalar. “Todos nós estamos em estado de terror com os riscos que estamos correndo aqui com esse material infectado. Há cerca de três anos também foi descartado resíduos hospitalares neste terreno. Na ocasião, não conseguimos identificar, mas desta vez encontramos documentos do Hospital São Rafael”, comenta.

007 006

O lixo hospitalar foi encontrado pela população no sábado (27), que pediu ajuda a prefeitura de Camaçari. Uma equipe com veículo especializado para coleta do tipo de resíduo foi enviada. Porém, os operários desistiram de recolher o material alegando alto risco, até mesmo para eles que são especializados.

A reportagem do Bocão News entrou em contato com médico sanitarista Juarez Dias, que explicou os riscos que população está correndo. Para Dias, um dos maiores riscos é contaminação via lençol freático ou por animais e insetos. “Se choveu depois do dia do descarte provavelmente a contaminação poderá chegar ao lençol freático, isso aumenta os riscos. Os insetos a exemplo das moscas também podem ser agentes transmissores da infecção, bem como ratos e outros animais que tenham contato com o material”, explica.

O sanitarista também explicou que fato de estarem desde sábado no terreno e com a chuva que caiu no período que o lixo está no local já existe um risco eminente a comunidade vizinha. “Os riscos de doenças vão desde diarreias, leptospirose até HIV e Hepatites. Esses materiais perfurocortantes utilizados podem ter vários tipos de doenças virais”, alerta.

O médico também sugeriu a forma correta de limpar o local evitando a contaminação. “O correto é utilizar uma retroescavadeira, de forma que retire todo material, e separe principalmente os que devem ser incinerados, a exemplo de seringas e agulhas. A área deveria deve ser tratada com cal areia ou material impeça chegar ao lençol freático. Para aqueles que têm alguma horta próxima do local, a atenção deverá ser triplicada”, explica.

Segundo informações dos moradores, o diretor da Limpec que presta serviço de limpeza ao município de Camaçari, está acompanhado no local e prometeu a retirada do material ainda hoje com equipamentos como tratores e caçambas.

A reportagem do Bocão News entrou em contato com assessoria de comunicação do Monte Tabor, que administra do Hospital São Rafael. A assessoria informou que o corpo administrativo já está investigando o caso e tão logo tenha os resultados da investigação irá divulgar uma nota a imprensa.

A assessoria de comunicação do Monte Tabor via nota explicou o processo de recolhimento do lixo hospitalar do Hospital São Rafael. Leia íntegra da nota:

O Monte Tabor/Hospital São Rafael esclarece que, o recolhimento do lixo hospitalar é feito por uma empresa especializada neste tipo de serviço, sendo a mesma também responsável pela destinação final deste material. Ainda assim, ressaltamos que a denúncia sobre o descarte inadequado será apurada pela Direção do Hospital para que sejam adotadas as medidas cabíveis.

Informamos ainda que, a empresa em questão é auditada pelo HSR, periodicamente, e emite certificados de tratamento e de descarte dos resíduos, conforme legislação e contrato em vigor.

Fonte: Bocão News