Grupo de desempregados se reúne com prefeita e cobra solução

Trabalhadores da área industrial, construção civil e montagem foram à Câmara Municipal, nesta quarta-feira (4), para buscar soluções para a falta de emprego em Dias D’Ávila. Eles relatam que não estão tendo espaço nas indústrias instaladas no município.

A prefeita Jussara Márcia (PT), que esteve na abertura dos trabalhos do Legislativo, convidou o grupo para uma reunião no auditório da prefeitura.

Durante o encontro com a mandatária do município, eles apresentaram as dificuldades enfrentadas pela categoria e reivindicaram ações do executivo municipal para reduzir o desemprego na cidade. Um dos manifestantes disse que existe uma grande dificuldade de buscar emprego fora, pois os operários de Dias D’Ávila estão sendo barrados em outras cidades. Ele denunciou ainda, que trabalhadores da cidade de Candeias estão conseguindo preencher vagas nas empresas instaladas no município.

O vereador Caxindé (PSD), que tem buscado espaço para os trabalhares locais nas indústrias instaladas na região, ratificou a luta do grupo e ressaltou a união dos trabalhadores das cidades de Dias D’Ávila e Camaçari.

desempregados-encontro-2 desempregados-jussara-550x300

O grupo contestou na reunião que o Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) em Dias D’Ávila está privilegiando vagas para pessoas indicadas por vereadores ou familiares de funcionários da prefeitura. Uma funcionária do PAT que estava na reunião informou que tem enviado os currículos de todos que estão no perfil solicitado pelas empresas. “Não existe isso (privilégio)”, destacou.

A prefeita Jussara sugeriu um novo encontro com representantes do grupo para esta sexta-feira (6), pela manhã. O objetivo é montar uma frente para cobrar que as empresas instaladas no município contratem a mão de obra local.

O grupo prometeu continuar lutando para encontrar uma solução para o problema. “Vamos travar tudo, se as coisas não se resolverem”, disse um líder do grupo.

Em parceria com outros operários desempregados da cidade de Camaçari, o grupo quer a participação também dos operários de Mata de São João.

Fonte: Mais Região