Luiza Maia acusa Nilo de cortar combustível de seu gabinete

Em conversa com o Bocão News, a deputada Luiza Maia (PT), que votou contra o aumento da verba de gabinete da Assembleia Legislativa, acusou o presidente da Casa, deputado Marcelo Nilo (PDT) de cortar o combustível do seu gabinete como forma de perseguição. De acordo com a parlamentar, as normas exigidas pelo pedetista nunca foi praxe no exercício do mandato. “Quando fui receber os vales não me deram. Disseram que agora que tenho que fazer um comunicado e ir conversar diretamente com ele, procedimento que nunca fiz nesses últimos quatro meses na Assembleia”, contou.

A verba de combustível é uma garantia de todos os 63 deputados e está embutido na verba de gabinete.

A política afirma que os deputados não aceitam sua opinião e voto contrário a proposta da presidência que aumentou as cifras aos parlamentares de R$ 78 mil para R$ 92 mil. A petista mandou o deputado Pastor Sargente Isidório (PSC) “cuidar da saúde dele” ao comentar as declarações dadas pelo social cristão, na rádio Itapoan, nesta segunda-feira. Na ocasião, Isidório disse que “se eu fosse mulher do prefeito também votaria contra”.

“Eles tentam descaracterizar meu discurso. Mas Isidório esquece que sou esposa de ex-prefeito”, rebate. “Ele pode discordar, mas não vem ao caso comentar isso. Tem que ter respeito”, completou.

Fonte: Bocão News