Ciência recomenda exercícios intensos para vida longa

Um estudo publicado essa última semana revela que incluir na rotina atividades intensas como corrida ou ginástica, pode reduzir entre 9% e 13% o risco de mortalidade em adultos. Para chegar a essas conclusões, a equipe de pesquisadores analisou os dados de mais de 200 mil adultos, de 45 a 75 anos, entre fevereiro de 2006 e junho de 2014. Foram comparados aqueles que incluíram alguma atividade intensa em sua rotina; quem praticava atividades intensas em mais de 30% da rotina e aqueles que não praticavam atividades físicas intensas. Em seguida, os cientistas analisaram as taxas de mortalidades dos grupos. Os resultados indicaram que aqueles que faziam alguma atividade física intensa tinham um índice de mortalidade 9% menor que aqueles que não praticavam exercícios vigorosos. Já no grupo em que a rotina de exercícios era 30% ou mais composta de atividades intensas a taxa era 13% menor.

exercício_2

-Publicidade-
-Publicidade-

Segundo Pablo Gavazza, educador físico e Coordenador Técnico Geral da Hammer Academia, “exercícios com pelo menos 10 minutos já ajudam as pessoas a se sentirem melhor. De 20 a 40 minutos é muito bom, porque as pessoas vão ter mais energia por mais tempo”. Uma das principais desculpas que muitas pessoas usam para não praticar exercícios é a falta de tempo, mas o educador rebate: “o mais importante é começar e se esforçar para criar uma rotina onde os exercícios também façam parte! E claro, buscar sempre a ajuda e as orientações de profissionais sérios e com experiência para realizar um treinamento acompanhado”, explica.

Fonte: Pipa Comunicação