Dia violento: Camaçari registra cinco homicídios nesta terça-feira

Camaçari registrou, nesta terça-feira (26), um dos dias mais violentos deste ano. Segundo site da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP/BA), cinco pessoas foram assassinadas no município. O primeiro caso trata-se de um triplo homicídio, ocorrido na Estrada da Cetrel, onde a polícia encontrou os corpos dos jovens, na manhã de terça-feira. Segundo a titular da 4ª DHPP de Camaçari, delegada Maria Tereza, dois rapazes eram irmãos, Fagner Paixão de Souza, 18 anos, e Vagner Paixão de Souza, 20. A terceira vítima trata-se de Fábio Oliveira. Ainda segundo a Polícia Civil, Vagner e Fagner moravam no bairro da Lama Preta e estavam dentro de casa quando foram levados, na madrugada do mesmo dia. As vítimas foram encontradas com requintes de crueldade, com as mãos e os pés amarrados, olhos arrancados e vários trios na cabeça.

Triplo homicídio na Estrada da Cetrel
Triplo homicídio na Estrada da Cetrel

Em entrevista a uma rádio local, a delegada associou o triplo homicídio à guerra entre criminosos da região. “Eles matam um de um bairro e a facção do bairro em questão vem e mata um, dois, três, por vingança”, disse. Ainda segundo Maria Tereza, as três vítimas já tinham passagens na polícia. O quarto homicídio foi registrado por volta das 8h30 da manhã, em Vila de Abrantes, Estrada da Cascalheira, nas proximidades do Espaço Verde, onde Marcos Alves de Oliveira, 33 anos, foi executado. O quinto trata-se de Edmilson Romeu de Lima, 22 anos, baleado enquanto realizava obras na própria casa, situada na Rua do Cravo, no bairro da Gleba H, por volta das 9h30. Segundo informações, ele foi surpreendido por dois homens de dados desconhecidos que estavam a pé e deflagraram os tiros contra ele. Edmilson foi socorrido para o Hospital Geral de Camaçari (HGC), mas não resistiu aos ferimentos. Ele deixa três filhos.

Edmilson Romeu de Lima deixa três filhos
Edmilson Romeu de Lima deixa três filhos

As causas e autorias dos dois últimos homicídios ainda são desconhecidas.

Redação Nossa Metrópole