Tarifa do transporte público pode ultrapassar R$ 2,50, diz presidente de cooperativa

Após paralisarem por três horas os serviços de transporte de passageiros, no início da manhã desta terça-feira (16), os rodoviários de Camaçari se reuniram com os vereadores do município para tratar da campanha de reajuste das tarifas. Caso o aumento seja concedido, a tarifa que custa R$ 2,00 para deslocamento dentro da sede pode ultrapassar os R$ 2,50.

Segundo a categoria, o aumento é necessário porque a tarifa se encontra defasada. “Há quatro anos, não há reajuste no valor do transporte”, argumenta o presidente da Cooastac (Cooperativa de Transporte Alternativo e Empresarial de Camacari), Ramiro Sena. Ainda de acordo com ele, os empresários que trabalham com o transporte no município solicitam um reajuste de 26,5%, valor médio da inflação, acumulado durante esses quatro anos. “Este é o valor médio, mas podemos negociar em até 25%”, completa.

-Publicidade-
-Publicidade-

Quando perguntado pela nossa redação sobre a qualidade do serviço que é oferecido pelas empresas de transporte, Ramiro é enfático: “O transporte público de Camaçari evoluiu bastante e hoje está entre os dez melhores do país. Temos acessibilidade para deficientes, além de uma frota de veículos de três anos. Já investimos R$ 33 milhões no setor”, explica.

Nesta quarta-feira (17), representantes das cooperativas e empresas que prestam serviços no município, como Coostac, Cooperunião e Viação Cidade Industrial, irão se reunir com o governo, às 9h, para abrir uma rodada de negociação. Caso as partes não entrem em um acordo, Ramiro diz que a categoria pretende “fechar” a cidade.

Segundo o presidente da cooperativa, em Camaçari circulam 52 veículos da Cooastac, que levam, em média, 300 pessoas por dia em cada um, totalizando mais de 15 mil passageiros.

Basta saber se as empresas pretendem corrigir problemas rotineiros como a demora e lotação dos veículos.

Fernanda Melo / Redação Nossa Metrópole