Após ganhar R$ 156 milhões em dois anos, herança de Cristiano Araújo pode provocar briga entre família

A novela envolvendo a morte de Cristiano Araújo e a herança do sertanejo não tem data para acabar. Segundo o “Domingo Espetacular” informou, os bens do cantor podem causar uma briga dentro da própria família. A advogada Ivone Zeger, entrevistada pelo programa, afirmou que em casos como o do cantor, o patrimônio deve ser dividido entre os dois filhos.

Sendo assim, as mães de João Gabriel, de seis anos, e Bernardo, de dois, devem administrar os bens, já que têm a guarda das crianças.

Apesar disso, em entrevista ao site “Ego”, a tia e madrinha de Cristiano, Divina de Mello, desabafou.

cristiano_araujo1

“Conformado o João (Reis, pai de Cristiano) ainda não está. Mas ele está tendo que ter força para agir e resolver algumas coisas. Agora os urubus já estão em cima da carniça. Já aconteceram divergências porque teve gente querendo fazer o papel de pai do Cristiano depois da morte dele. O Vitor Leonardo ligou da UTI para proibir a entrada de qualquer pessoa na mansão. Mas o João já tinha ido lá para pegar todas as senhas e mandou um recado para ele: ‘Fala que não quero mais que ele coloque os pés aqui. Pode mandar alguém buscar as roupas dele’”, falou.

Acrescentando: “Ele não era a pessoa ideal para estar com o Cristiano. Só não tomou o lugar dele nos palcos porque não cantava. Mas manipulava ele demais e o afastou da família. Ele nunca andou no ônibus com o resto da equipe, só viajava de avião. Só fez inimizades desde que começou a trabalhar, ninguém da banda gostava dele. Ele se aproveitou demais do meu sobrinho, ganhou muito dinheiro. Tinha um salário de R$ 40 mil por mês. Não falamos com ele depois do acidente e não sei como vai ficar essa situação. Mas acho que ainda vai ter briga. É muito triste ter que lidar com uma situação dessa ainda em luto”.

Apenas nos últimos dois anos, Cristiano Araújo teria faturado o equivalente a R$ 156 milhões só com shows e o valor foi investido, em parte, na compra de imóveis.

Fonte: Varela Notícias