Após mortes, Rússia lança campanha contra selfies perigosas

O governo da Rússia decidiu lançar uma cartilha para a população se conscientizar quanto as formas perigosas que algumas fotos estão sendo registradas. Segundo informações da ‘BBC’, a decisão acontece após quase 100 pessoas se machucarem e mais de 10 morrerem fazendo poses em situações de perigo. “Uma selfie leal pode custar sua vida”, informa o Ministério do Interior em uma das imagens da campanha, que incluem ainda “uma selfie com arma mata”.

rw4601

-Publicidade-
-Publicidade-

Além disso, foram criados formatos de selfies em frente a um trem, no trânsito ou em telhados. O caso mais recente de morte no país aconteceu em maio deste ano, quando uma jovem encontrou a arma no seu trabalho e resolveu tirar uma foto apontando o objeto para a própria cabeça. No entanto, a russa acabou apertando o gatilho acidentalmente e morreu. Em maio, a jovem romena Anna Ursu, de 18 anos, morreu eletrocutada após tentar fazer um selfie na estação de trem na cidade de Iasi, no nordeste da Romênia. Segundo estatísticas oficiais recebidas pela ‘BBC’, 10 pessoas morreram apenas em 2015 em acidentes causados durante tentativas de fazer autorretratos.