Dengue, chikungunya e Zika vírus: Saiba como distinguir as patologias e previna-se!

A edição nº 81 do mês de julho da revista Nossa Metrópole traz uma matéria especial sobre o mosquito Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika vírus. Acompanhe abaixo a matéria completa e tire suas dúvidas.

POR FERNANDA MELO

Como um mosquito tão pequeno pode causar tamanho estrago? Dengue, Chikungunya, Zika vírus, doenças causadas pela picada do Aedes aegypti que tem feito, a cada dia, milhares de vítimas em todo o país.

Mas, como diferenciar uma enfermidade da outra, já que os sintomas são tão parecidos? O especialista em infectologia e patologia clínica, Dr. Celso Granato, explica. “A grande diferença entre as doenças está nas sequelas. Mas elas são sutis até para os clínicos e é necessário fazer um teste específico para diagnosticar corretamente a doença”. disse.

Os sintomas da dengue são mais diversos, podendo ter dores de cabeça, febre alta, tonturas e dores das articulações, além de sangramentos (nariz, gengivas), dor abdominal intensa e contínua e vômitos persistentes. Segundo especialistas, entre todas as doenças, a dengue é a mais perigosa e, se não tratada, pode levar ao agravamento do quadro.

No caso da chikungunya, são semelhantes aos da dengue, tais como febre alta, dores pelo corpo, dor de cabeça, cansaço e manchas avermelhadas pelo corpo. Felizmente, ela não provoca complicações hemorrágicas, sendo, portanto, uma infecção menos fatal que a dengue. Na febre chikungunya, o vírus causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor nas articulações, especialmente dos pés e mãos – dedos, tornozelos e pulsos. Pessoas de qualquer idade ou sexo podem ser afetadas pelo vírus, mas os sintomas tendem a ser mais intensos em crianças e idosos. A estudante universitária Eliane Oliveira compareceu, no intervalo de uma semana, três vezes em uma das UPAs de Camaçari, com os sintomas da doença. “As dores nas articulações são muito fortes, impossível se manter em pé”, disse a estudante que precisou ser carregada de cadeira de rodas dentro da unidade médica por causa das dores intensas. Após ser medicada na UPA, ela continua se cuidando em casa com os remédios indicados pelos médicos e já apresenta melhoras.

Zika vírus possui um quadro muito parecido com o da dengue e da febre chikungunya, onde o paciente pode apresentar sintomas como febre, diarreia, dores e manchas no corpo. No entanto, a nova doença é considerada mais branda. Segundo especialistas, o diferencial do Zika é a presença de uma coceira mais intensa na pele acompanhada de conjuntivite. Originária da África, o vírus foi detectado pela primeira vez na América Latina, no primeiro trimestre deste ano, em moradores de Camaçari.

A dificuldade em distinguir as três doenças também é sentida pelos médicos. Só com a realização de exames é possível identificar exatamente qual a doença do paciente. Sendo assim, a orientação é que, ao apresentar qualquer sintoma atípico, as pessoas procurem o posto de saúde. O resultado do exame sorológico, que tem segurança de 100% (diferentemente do teste rápido), é apresentado em cinco dias.

doencas-causadas-pelo-estresse enxaqueca

O Aedes aegypti pode transmitir mais de uma doença ao mesmo tempo?

Segundo estudos conduzidos pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), é possível que um mosquito transmita dengue e chikungunya ao mesmo tempo a um paciente. Ainda não há estudos, porém, que avaliem a possibilidade de o zika vírus ser transmitido simultaneamente aos outros dois vírus.

O infectologista Dr. Celso Granato ressaltou que o mosquito Aedes está passando por um processo de adaptação no mundo, ampliando sua área de convívio com o ser humano, por isso, as pessoas devem se prevenir, começando os cuidados dentro da própria casa. “Os agentes de saúde descobrem que em 80% dos casos as pessoas que têm dengue foram picadas perto de casa. É necessário fazer uma inspeção cuidadosa dentro de casa e não ficar só colocando a culpa na autoridade pública”, completou.