Português é preso por aplicar golpe com venda de lotes na Linha Verde

O empresário português José Miguel Tavares Roque Martins foi preso na manhã desta quarta-feira (30), em Salvador, acusado de aplicar um golpe imobiliário estimado em R$ 94 milhões. De acordo com a Polícia Civil, Martins é dono do Resort Empreendimentos Imobiliários, localizado na Linha Verde, próximo ao pedágio de Camaçari.

miguel

-Publicidade-
-Publicidade-

O empresário chegou a vender todos os 470 lotes do condomínio, com valores que variavam entre R$ 140 mil e R$ 200 mil. Com eles, seriam construídos três empreendimentos residenciais, o Jardim Litoral I, II e II, com entrega das unidades previstas para dezembro de 2014, julho e dezembro deste ano. Neste mês, os compradores dos lotes pagariam a última parcela pela compra dos imóveis de luxo, que somariam R$ 4 milhões.

Segundo a delegada Carla Ramos, titular da Delegacia do Consumidor (Decon), José Miguel aplicava os golpes pela internet e através de corretores de imóveis que, segundo ela, também não tinham consciência do golpe. “Ele é cidadão português, não tem residência fixa aqui. Ele costumava agir pela internet e também vendia os lotes através de corretores. Começamos a investigar o caso quando cinco clientes procuraram a delegacia para informar que estavam pagando as parcelas em dia, mas ele estava negativando os nomes para que não conseguissem efetuar financiamentos para comprar outros imóveis”, explicou a delegada.

Ainda de acordo com a delegada, 70 casas começaram a ser construídas, mas não chegaram a passar da fase de reboco. Ela explicou que Martins não efetuou o pagamento da obra a construtora, que paralisou a construção dos imóveis por falta de pagamento. O empresário também devia R$ 6 milhões do terreno onde os condomínios seriam construídos.

Após a divulgação da prisão do delegado, outras 4 pessoas foram até a delegacia registrar ocorrência do mesmo golpe. A polícia estima que outras 461 pessoas tenham sido vítimas, já que todas as unidades do suposto empreendimento foram vendidas. José Miguel já havia aplicado golpe semelhante no estado de Minas Gerais, onde os imóveis vendidos teriam até um heliponto. A Polícia Civil de minas, no entanto, informou que ele não possuía antecedentes criminais no estado.

“Ele estava em Salvador há dois anos e já se preparava para fugir para Sergipe depois de receber o restante do pagamento das vítimas”, salientou a delegada. Indiciado por estelionato, José Miguel já foi encaminhado ao sistema prisional.

Fonte: Correio 24 Horas