Garota de 16 anos sequestra e enforca menino de 9 em Candeias

O menino Adonai Santos, 9 anos, foi encontrado morto dentro de um freezer desativado na noite de desta terça-feira (6) no município de Candeias, na Região Metropolitana de Salvador. O garoto estava desaparecido desde o dia 5 e foi localizado pelo pai da suspeita de ter cometido o crime, uma adolescente de 16 anos.

RTEmagicC_adonai_candeias_01.jpg
Adonai Santos

O corpo foi localizado por volta das 22h30, dentro de uma casa abandonada na Praça Maria Quitéria, que fica no centro da cidade, depois do homem sentir mal cheiro vindo da casa. Segundo o delegado Marcos Laranjeiras, titular 20ª Delegacia (Candeias), depois de achar a criança morta, o pai da suspeita, que não teve o nome divulgado, entregou a filha à polícia. “Quando ela confessou ao pai, ele pegou ela pelo braço e apresentou na delegacia. Ela foi apreendida em flagrante na por ato infracional análogo a homicídio”, disse.

Na delegacia, a garota confessou que levou o menino para a casa, deu um medicamento a ele e depois o estrangulou. De acordo com Laranjeiras, a suspeita é viciada em maconha e crack e pretendia extorquir a família para conseguir dinheiro e comprar drogas. “Foi uma espécie de sequestro desorganizado. Ela confessou o crime aos policias espontaneamente na frente do pai. Ela queria dar fim no menino, fazer com que ele desaparecesse, para não levantar suspeitas que foi ela”, contou o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, a garota é vizinha da vítima e tinha o hábito de brincar com as crianças da rua. Depois do crime, ela ainda ajudou a procurar Adonai com os vizinhos e policiais. “Quando ele sumiu, nós começamos a procurar em uma rede esgoto que fica ao redor da casa do menino. Achávamos que ele podia ter caído ali e se afogado. Ela auxiliou nas buscas como se nada tivesse acontecido”.

O corpo de Adonai foi encaminhado pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) para o Instituto Médico Legal de Salvador. O laudo da perícia deve apontar se a morte foi causada por envenenamento ou estrangulamento. “Ela não falou que tipo de remédio deu ao menino. Vamos apurar se não foi um veneno, mas só a perícia técnica vai confirmar se a criança ingeriu alguma coisa mesmo”, disse Laranjeiras.

Incêndio
Revoltados com o crime, um grupo de moradores ateou fogo na casa da suspeita – mesmo local onde o corpo foi encontrado – na manhã desta quarta-feira (7). Segundo o sargento Moisés Praxedes, operador da 10ª Companhia Independente da Polícia Militar (Candeias), as chamas começaram por volta das 6h.

“O fogo ainda está dentro da casa. Ainda não se alastrou a ponto de atingir outras casas. Nós pedimos ajuda dos Bombeiros de Madre de Deus, mas eles estão sem viatura. Então entramos em contato com a Centel para ver se os Bombeiros de Simões Filho vêm pra cá apagar o fogo”, disse o sargento Praxedes.

Fonte: Correio 24 Horas