Escola Sônia Regina de Souza é campeã da Move – Mostra de Vídeo Estudantil

A campeã da 2ª MOVE (Mostra de Vídeo Estudantil) foi a Escola Municipal Sônia Regina de Souza, que mostrou em cinco minutos que o racismo existe em todos os lugares. A unidade escolar foi uma das cinco finalistas da edição deste ano, que aconteceu na tarde de hoje (22/10), e lotou o Teatro Cidade do Saber. Toda a mostra foi traduzida em Libras.

RTEmagicC_sonia_regina222.JPG

-Publicidade-
-Publicidade-

“Foi uma experiência muito boa e sair vencedores é foi melhor ainda. Fui a roteirista do nosso vídeo e amei aprender. Mostramos o quanto o racismo é algo comum e que deve ser combatido”, destacou a estudante do 6º ano da escola campeã, Nadiele Santos, de 14 anos.

Para o secretário de Educação, Márcio Neves, a MOVE vem com a proposta de inclusão digital dos alunos de forma didática. “Os jovens não precisam que ensinemos como utilizar as novas tecnologias, apenas necessitam de uma orientação pedagógica para que aprendam a utilizá-las de uma maniera melhor”, pontuou.

Além dos estudantes, a Mostra de Vídeo Estudantil contou com a participação de professores, coordenadores e gestores da rede municipal de ensino e monitores de informática. O idealizador e um dos coordenadores da MOVE, Marcus Leone, considera que o trabalho colaborativo foi essencial para a realização da Mostra.

A iniciativa teve início em abril, quando os alunos começaram a produzir vídeos autorais alinhados às ferramentas tecnológicas, como celulares, câmeras fotográficas e tablets. A MOVE contou com 23 inscritos, dos quais 13 vídeos foram classificados e cinco selecionados para a final. Todos foram produzidos ao longo das oficinas de produção audiovisual.

O segundo lugar da Mostra ficou com o Centro Educacional Yolanda Pires, cujo vídeo contou a história de Camaçari. Na terceira posição, o vídeo do Colégio Municipal São Tomaz de Cantuária, o qual teve o objetivo de mostrar as formas de comunicação das pessoas com deficiência auditiva, por meio das libras, dentre outras formas. “Gostei muito de ter partcipado da MOVE porque pudemos mostrar um pouco do que somos para nossos colegas”, ressaltou o aluno do 8º ano, Alisson Correia, de 17 anos, que possui deficiência auditiva.

O quarto lugar ficou com a Escola Municipal Parque Verde e o quinto com o CEMC (Centro de Educação Municipal de Camaçari). Todas as escolas finalistas foram premiadas com equipamentos e uma ilha de edição e os dois primeiros lugares ainda ganharam uma máquina filmadora para estimular ainda mais a produção audiovisual.
A Mostra de Vídeo Estudantil é promovida pela Seduc (Secretaria de Educação), através do CGTI (Coordenação de Gestão Tecnológica e Inovação).

Fonte: Ascom / PMC