Homem atira contra UPA de Feira de Santana por falta de atendimento

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Mangabeira, em Feira de Santana (a 108 km de Salvador), foi alvejada por disparos de arma de fogo na madrugada desta quarta-feira, 11. Um homem não identificado atirou oito vezes contra o local, após, supostamente, não ter conseguido atendimento médico para uma mulher que estava com ele, também de identificação ignorada.

Disparos de arma de fogo deixaram marcas na parede
Disparos de arma de fogo deixaram marcas na parede

Ninguém ficou ferido. Testemunhas contaram que, ao buscar o atendimento para a mulher que ficou no veículo, o homem não teve paciência para esperar que o portão fosse aberto pelos funcionários.

-Publicidade-
-Publicidade-

No momento dos disparos, não havia pacientes na unidade, que era ocupada por médicos e enfermeiros. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana (SMS), os disparos não atingiram o interior da UPA. O fato ocorreu por volta das 3h desta quarta.

De acordo com o delegado João Uzzum, coordenador da Polícia Civil de Feira de Santana, as investigações estão buscando a identificação do autor dos disparos. “A investigação está em andamento. Estamos ouvindo testemunhas, pessoas que estavam trabalhando na UPA quando os tiros foram efetuados”, informou.

Segundo o delegado, ele chegou ao local em um carro modelo Fiat Siena de cor prata. “Ele parou em frente à UPA e teve algum desentendimento com alguém da UPA, puxou uma pistola calibre 380 e deu vários tiros na parede”, disse Uzzum.

Ao chegar ao local, o homem não teve acesso ao interior da UPA, pois, após a meia-noite, os portões da unidade ficam fechados e o contato é feito, inicialmente, pelo portão. João Uzzum relatou, ainda, que a polícia está analisando imagens capturadas por câmeras instaladas na UPA. “No entanto, as imagens não estão em boa qualidade”, frisou.

O delegado descartou a possibilidade de que o atirador tenha ido ao local para matar alguém e informou que a polícia trabalha com a hipótese de que ele realmente buscava atendimento para alguém e, nervoso por uma possível negativa, efetuou os tiros. “Se fosse para matar, ele teria feito, mas atirou na parede, ficou nervoso”, contou Uzzum.

Secretaria
A SMS esclareceu, em nota, que os tiros atingiram uma placa em frente a um dos portões da unidade e uma área da parede do prédio, no lado externo.
Informou, ainda, que as câmeras de monitoramento da região revelam a aproximação de um automóvel provavelmente conduzindo três pessoas. “Uma delas desce do carro, efetua os disparos, retorna ao veículo e vai embora”, diz a nota.

Fonte: A Tarde