Carnaval da Bahia tem índices de violência reduzidos, diz balanço do governo

As forças de segurança estaduais deram por mais um ano a prova de que talvez seja a única polícia no mundo capaz de controlar dois milhões de foliões por dia nos três circuitos do Carnaval de Salvador – Dodô, Osmar e Batatinha -, além das festas em bairros e em cidades de grande porte do interior da Bahia.

O esquema de segurança pública para o Carnaval deste ano registrou diminuições de 16,7% nas tentativas de homicídios (cinco em 2016 e seis em 2015), de 6,9% nas lesões corporais (176 registros neste ano contra 189 em 2015) e de 3,5% nos roubos numa comparação com a festa de 2015 (110 casos em 2016, contra 114 no ano anterior). Os dados são relativos ao período das 19h de quinta-feira (4) às 7h desta quarta (10).

-Publicidade-
-Publicidade-

Os homicídios ficaram sem variação, sendo dois registros em 2016 e a mesma quantidade no ano passado. No Carnaval encerrado na manhã desta quarta-feira (10) foram computados dois casos envolvendo catadores de lata. As duas vítimas tinham passagens pela polícia e, em menos de 24 horas, a polícia identificou e prendeu os autores. O número de furtos teve aumento de 9%.

A produtividade policial é outro índice que traduz o êxito do trabalho das forças de segurança do estado no Carnaval. Nos seis dias de festa foram conduzidas 3.309 pessoas (aumento de 44,7%), entre elas, algumas por uso ou tráfico de drogas. No total, foram autuados em flagrante 110 criminosos, alguns com mandados de prisão expedidos pela Justiça.

A presença de cerca de 26 mil policiais e o uso da tecnologia, além da utilização de 48 portais de abordagem, garantiram mais segurança para baianos e turistas que aproveitaram a nossa festa. O Governo do Estado investiu mais de R$ 42 milhões para garantir tranquilidade aos foliões.

Portais de segurança

Com a inovação dos portais de segurança, cerca de 20 mil pessoas foram abordadas por hora, número expressivo para a quantidade destas estruturas instaladas e de pessoas que participaram da festa. Nos portais, a PM apreendeu duas armas de fogo, 64 armas brancas (ocorrências que configuram intenção de cometimento de crime) e 354 objetos recolhidos com potencial de arma branca. Também foram conduzidas 42 pessoas às delegacias, sendo 13 presas em flagrante. Os policiais apreenderam ainda cinco adolescentes e registraram 24 crimes de menor potencial ofensivo, além de 55 ocorrências com drogas.

Outra novidade foi a Operação Ronda Maria da Penha que atuou pela primeira vez no Carnaval de Salvador em parceria com a Secretaria de Política para as Mulheres do Estado (SPM) com atenção especial às ocorrências de violência contra a mulher. Ao todo, a Ronda atendeu 39 ocorrências e prendeu duas pessoas em flagrante que foram conduzidas para a delegacia. Neste período, a Ronda realizou ainda 98 visitas e 93 palestras.

Folia e Paz

A Operação Folia e Paz intensificou o policiamento no entorno dos grandes circuitos, estações de transbordo e principais corredores de tráfego, oferecendo mais segurança ao folião na ida para a festa e na volta para casa. Desde o início do Carnaval foram abordadas 32.198 pessoas e 3.735 veículos (carros e motos), 778 taxis, 826 coletivos e 1.234 pontos de ônibus, resultando na condução de 45 pessoas às delegacias, 11 flagrantes lavrados e cinco adolescentes apreendidos. Ao todo, 1.249 policiais atuaram com o apoio de 346 viaturas.

Para oferecer mais segurança ao visitante, a Polícia Militar disponibilizou um serviço 24 horas de acompanhamento de turistas. Ao todo, 941 acompanhamentos foram realizados do aeroporto aos hotéis instalados nos circuitos e aos que ficam situados no litoral norte, resultando no acompanhamento de 697 grupos nacionais e 244 grupos estrangeiros.

Fonte: Ascom / Governo da Bahia