Fãs de Ivete Sangalo são agredidos em show

Dois fãs da cantora Ivete Sangalo foram agredidos por seguranças enquanto assistiam a um show da baiana, no último sábado (11), no Centro de Tradições Nordestinas, na Zona Norte de São Paulo. Em entrevista ao programa SuperPop da quarta-feira (15), a cantora falou sobre o caso e mostrou indignação com a agressão.

RTEmagicC_e69d199dd7.jpg

“É algo deplorável, fiquei muito triste, muito decepcionada. Acompanhei de perto com o pessoal do CPM, que me mantiveram informada, tomaram atitudes e trocaram o pessoal da segurança, já tem inquérito na policia. Mas eu acho que tudo que se possa fazer é uma maneira da gente tentar amenizar, mas é tão difícil quando você não tem liberdade para ser o que você é. É tão desumano que eu me sinto infeliz diante disso tudo”, falou a cantora.

Ainda durante a entrevista por telefone, a apresentadora Luciana Gimenez comentou sobre o público da baiana ser formado em sua maioria por gays e a cantora não deixou de ressaltar todo o carinho que recebe por eles. “É um público que me ensina a amar cada vez mais, é muito amor, muito carinho e muito respeito”, declarou a cantora.

Ivete mostrou sua admiração e respeito pelos fãs agredidos.”A coragem está nestes homens que estão ai no seu palco, reivindicando os direitos deles […] Vocês tem que ser respeitados como indivíduos, independente da orientação sexual”, ressalta.

Entenda o caso
Dois fãs da cantora Ivete Sangalo foram agredidos por seguranças enquanto assistiam o show da baiana no último sábado (11). O show acontecia no Centro de Tradições Nordestinas, Zona Norte de São Paulo. Em entrevista a TV Globo, Caio Tomaz da Rocha relatou os momentos que antecederam a agressão.

“Nós estávamos parados na frente do banheiro, esperando as duas pessoas que estavam com a gente e chegou dois frequentadores dizendo que a blusa que estava na minha mão era deles. Eles viram que a gente estava discutindo por causa da blusa, que o rapaz chegou e falou para a gente que a minha jaqueta era deles, e aí eles já me pegaram, dois seguranças, me pegaram pelo braço, começaram a me enforcar”, relembra o jovem.

Além da acusação de roubo, Caio ouviu comentários homofóbicos dos seguranças que expulsavam ele e seu companheiro do espaço a socos e pontapés. “A única oportunidade que eu tive para falar pra eles, que eu lembro, que foi: ‘Vocês estão me matando… tô ficando sem ar (…) Aí ele pegava e falava que eu tinha que morrer mesmo, que… gay e ladrão tinha que morrer. E nisso que me pegaram pelo pescoço, me jogaram no chão, começaram a me chutar… vinham muitos seguranças e me chutavam muito”, falou.

Durante a ação, uma amiga do casal teve o celular quebrado por um dos seguranças enquanto tentava filmar a confusão.

Fonte: Correio