Projeto do governo do estado pode gerar demissões em Camaçari

Líder da oposição em Camaçari, o vereador Antonio Elinaldo (DEM) afirmou hoje (17) temer que o município também seja prejudicado com a aprovação do projeto de lei do governo do estado que impõe ao setor produtivo novas condições para a concessão e manutenção de incentivos fiscais, exigindo comprovação de depósito em favor do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza do valor correspondente a 10% do benefício. O democrata teme demissões e até consequências mais graves no setor industrial de Camaçari, principalmente sobre grandes fábricas como a Ambev, atingindo em cheio a economia do município.

elinado-camacari-foto-agencia-mais-regiao-550x300

-Publicidade-
-Publicidade-

A Heineken instalada em Feira de Santana já demitiu 126 empregados com o fechamento da fábrica. Outras cervejarias localizadas em Alagoinhas também deverão ser prejudicadas. E o mesmo pode acontecer em Camaçari. É uma tremenda falta de sensibilidade não com os empresários, mas com os empregados”, afirmou Elinaldo.

O vereador concordou com o deputado federal Paulo Azi (DEM), que criticou a lei. Azi ponderou que nos últimos dois anos as cervejarias amargaram um aumento de 32% do ICMS e 18% sobre os refrigerantes e que uma nova tributação, nesse momento de crise, será crucial para o setor. “Os reflexos dessa medida são imprevisíveis e mostra a insensibilidade do governo em querer aumentar ainda mais os custos tributários da indústria baiana, setor que já vem lidando com grandes dificuldades para enfrentar a grave crise econômica que assola o país”, refletiu o deputado.

Ascom Elinaldo