Juíza libera taxista preso em Camaçari com 31 kg de maconha

Em nota, a assessoria do DPT informou que “houve um equívoco no lançamento dos dados para elaboração do laudo das drogas relacionadas ao caso de Sérgio Roberto Nascimento de Souza, vulgo TX”, afirmou o órgão.

Ainda segundo a nota, o laudo com o erro foi entregue no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), às 11h08. O órgão foi o responsável pela prisão do taxista e identificou o erro. Às 17h15 o documento foi retificado, mas o suspeito já havia sido liberado.

-Publicidade-
-Publicidade-

A Polícia Civil informou através da assessoria que fez o pedido de prisão preventiva de Sérgio Roberto, mas que ele ainda não foi localizado.

Soltura
A assessoria da Associação dos Magistrados da Bahia (Amab) informou, também em nota, que a juíza do caso recebeu o documento com a informação errada. “O laudo pericial apresentado pela polícia técnica indicou que o mesmo portava 31,75 gramas de maconha em seu veículo de trabalho”, diz.

Ainda segundo a Amab, outros fatores foram considerados para a soltura do preso. “O acusado não portava arma de fogo no momento da prisão. Não constam antecedentes policiais ou criminais contra o mesmo, não sendo indicada vinculação com organização criminosa. O acusado também conta com residência fixa e trabalho no município. Em decisão técnica, diante dos dados e informações apresentados, seguindo o que determina a lei e acompanhando o parecer favorável do Ministério Público, o mesmo foi colocado em liberdade provisória, após pagamento de fiança, devendo o taxista cumprir medida cautelar de comparecimento mensal em Juízo”, diz a nota.

Uma equipe do Draco parou o taxista na saída de Camaçari, na última sexta-feira (17). A droga foi encontrada no porta-malas do táxi, um Focus prata, embalada em fita adesiva. Os pacotes estavam em sacos plásticos. Sérgio foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e encaminhado para o sistema prisional, onde permaneceu até receber o alvará de soltura.

Correio 24h