Transexual é morta e mais duas são baleadas

“Sheila era sempre feliz. Todo mundo gostava dela. Sonhava em fazer a cirurgia para mudar de sexo e transformar o quartinho onde morava em uma casa. Eu quero justiça”, desabafou emocionada a doméstica Cintia Suzana Santos de Souza, 38 anos.
Ela é irmã da transexual Sheila Santos, 35 anos, a Neném, assassinada com um tiro na cabeça na madrugada deste domingo, 26, no Corredor da Gamboa, na avenida Contorno.
Tráfico
Na mesma situação, Rosemar Linhares Cardoso, 38 anos, e Osvaldo de Jesus Tavares, 55 anos, o Val Chinês ou China, foram baleados e levados ao Hospital Geral do Estado (HGE). O irmão mais novo de Sheila estava com ela no momento do crime, mas conseguiu fugir.
Moradores do local acreditam que os crimes têm relação com uma rivalidade entre um traficante de prenome Geovani e traficantes da Gamboa de Baixo.
“Foi Geovani quem atirou no pessoal. Foi uma vingança porque os caras colocaram ele para fora da Gamboa. Isso já tem um mês”, disse uma mulher. “Ele já colocou até na internet que não quer ninguém aqui no Corredor da Gamboa. Quem ficar ele disse que vai matar”, completou um homem.
O prenome Geovani também foi citado em ocorrência registrada na Central de Polícias (Centel) como suspeito de praticar o crime.
A irmã de Sheila, Cintia Souza, disse que ela usava crack há 10 anos, mas não com frequência. Ela acredita que o crime teve motivação transfóbica. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios (DHPP).

 

-Publicidade-
-Publicidade-