Estudantes de sete escolas foram premiados por trabalho

Alunos dos anos finais de sete escolas do Município tiveram uma aula diferente na manhã de terça (30/08), ocasião em que cerca de 300 estudantes participaram da premiação do projeto de Letramento – Círculos de Vida: memórias, identidades e mobilização social. A proposta é implantada pela Ceap (Coordenação de Ensino e Aprendizagem), da Seduc (Secretaria de Educação).

unnamed

Os estudantes premiados criaram uma revista em quadrinho para contar a história de alguma pessoa que teve ou que tem destaque na comunidade ou no bairro em que vivem. Para isso, eles passaram por oficinas promovidas por meio do projeto de Letramento.

As escolas foram premiadas por temáticas. A escola municipal Virgínia Reis foi premiada como melhor história em quadrinho, a escola Amélia Rodrigues como melhor roteiro, Professora Lídia Coelho Pinto, como identidade, Catu de Abrantes como mobilização social e Cleusa Maria de Carvalho Moreira com o melhor personagem, além dos centros educacionais Marquês de Abrantes que ganhou premiação com a temática memória e identidade e o Reitor Edgard Santos com o recorte memórias.

As histórias ganhadoras foram editadas e impressas em gráfica como almanaque. O material apresentado hoje foi entregue aos alunos e será distribuído nas 31 escolas da rede municipal que possuem ensino fundamental II. No total, foram inscritas 63 histórias em quadrinhos para participar da premiação, das quais 47 foram classificadas para avaliação e 10 histórias selecionadas para a etapa final. Sete foram as vencedoras.

O secretário de Educação, Juipurema Sandes, esteve presente no evento e falou do papel da leitura e escrita na construção do conhecimento do aluno. “Através da leitura e escrita é possível construir um mundo melhor, promovendo a transformação social”, frisou ao informar que o projeto de Letramento vai trabalhar a literatura em cordel na próxima unidade.

O aluno do 9º ano da Escola Virgínia Reis, Reni Souza, 15 anos, disse que foi muito gratificante participar do projeto e ter o trabalho do grupo selecionado. A satisfação é compartilhada também por Adrielle Nascimento, 13 anos, aluna do 7º ano do Centro Educacional Marquês de Abrantes. “Fico muito feliz por representar a escola e pelo fato da história que contei ter sido selecionada”.

O Projeto de Letramento – Círculos da Vida: memória, identidade e mobilização social tem a finalidade de promover o despertar das memórias individuais e coletivas e a construção da identidade dos estudantes por meio de ações formativas. Além disso, o projeto colabora para a cultura de paz, autonomia e empoderamento do aluno, a partir do diálogo direto com a comunidade, valorizando a identidade e o espaço de convivência, de forma a proporcionar a troca de experiências a fim de transcender as práticas escolares.