Limpec esclarece informações da nova gestão durante a reforma administrativa

Em resposta à informação noticiada durante a entrevista coletiva do prefeito eleito, Elinaldo Araújo (DEM), na última segunda-feira (28), onde foi dito que a Prefeitura de Camaçari tem um custo anual de R$ 50 milhões com a empresa, a diretoria da Limpec contesta esse número.

limpdentro

 

“Eu acredito que o prefeito eleito foi mal informado quanto aos custos da Limpec. Não sei de onde surgiu essa informação, pois é público o balanço e a Câmara de Vereadores tem total acesso. É importante que a assessoria da nova gestão se aprofunde na informação e se retrate. Inclusive, me coloco desde já, à disposição para qualquer esclarecimento. A população precisa conhecer a realidade da Limpec”, explica André Anjos, diretor-presidente da Limpec.

 

 

O valor de 50 milhões é desconhecido pelos diretores da empresa. Inclusive os números dessa gestão passam longe dessa cifra: 2013: R$ 21 milhões; 2014: R$ 28 milhões, 2015: R$ 20 milhões, 2016: R$ 21 milhões, lembrando que ainda não encerramos o ano e esse último é a estimativa.

 

A Limpec destaca que esse recurso deveria ser garantido. Isso porque há um recolhimento anual, através da taxa TRSD – Taxa de Resíduos Sólidos, que não é repassado integralmente. Esse percentual é embutido no IPTU das empresas do Polo Petroquímico e pode chegar além de 20 milhões/ano.

 

Outro dado importante é que hoje a LIMPEC não fatura para o poder Executivo, o que significa dizer que todo o descarte da administração pública no aterro é gratuito. A conta é clara: se a prefeitura fosse pagar um “aterro particular”, teria uma despesa anual de 26 milhões/ano.

 

Essa receita garantiria, em números gerais, um orçamento mensal de mais de R$ 2 milhões/mês, que, aliado a nosso faturamento, manteria a empresa com folga orçamentária, além de dar autonomia à LIMPEC. Outro fato que ninguém menciona é o superávit de além de R$ 2 milhões no ano anterior. Ou seja, a Limpec em 2015 deu lucro. Apesar dessa conta nada animadora, e dos cortes bruscos causados pela crise, a Limpec esse ano:

– reformou todos os carros e máquinas da empresa, colocando em atividade 100% da frota;

– aumentou em mais de 400% a quantidade de caixas estacionárias do Entulho Flash, através de reforma e aquisição de novas;

– modernizou o sistema de informação de dados entre a balança do aterro sanitário e a sede sem conexão efetiva há anos;

– reconheceu a militância de mais de 25 anos dos funcionários efetivos e concedeu a equiparação salarial;

– reduziu o custo com a coleta dos resíduos em 32%;

– através de ações estruturantes aumentou a vida útil do aterro sanitário, (que estava fadado ao encerramento de suas atividades este ano). E entregará o aterro à nova gestão com uma previsão de vida útil de mais um ano, enquanto procedem com a construção da nova célula.

Ascom : Limpec