Feirão da casa própria oferta 17 mil imóveis em Salvador e Região Metropolitana

A Caixa Econômica Federal espera repetir o volume de negócios de 2016 e fechar em R$ 502 milhões no 13º Feirão da Casa Própria, que começa na próxima sexta-feira (26). No Brasil, a estimativa da instituição é alcançar R$ 10,5 bilhões em vendas. Na capital baiana, o evento – que acontece também em outras 10 cidades – será no Shopping da Bahia, na sexta (26) e sábado (27) das 10h às 20h, e no domingo, das 10h às 18h.

 

Ao todo, serão 17 mil imóveis novos e usados em Salvador e Região Metropolitana  ofertados aos consumidores, destes  75% são novos e 25% usados, com valores que vão de R$ 100 a R$ 800 mil, em média. Parte dos empreendimentos, pode ser financiada pelo programa Minha Casa Minha Vida, que permite um crédito de até R$ 300 mil. A instituição irá dispor também de outras linhas de crédito, como a Pró-Cotista com imóveis de até R$ 800 mil.

Para ter acesso às ofertas e fechar a compra no feirão, o consumidor deve levar documentos de identificação (RG, CPF), comprovantes de renda e residência atualizados. Trabalhadores autônomos podem levar comprovantes de declaração do imposto de renda para demonstrar os rendimentos.

Os imóveis podem ser financiados em um prazo mínimo de cinco anos e o máximo de 35 anos. A simulação das parcelas pode ser feita também no site da instituição.

Brasil
No Brasil, o feirão irá contar com 228 mil imóveis para a venda. O evento acontece simultaneamente neste final de semana em  Recife, São Paulo, Goiânia, Campinas, Belo Horizonte, Florianópolis, Porto Alegre, Belém, Rio de Janeiro e Uberlândia.

No que diz respeito aos investimentos nacionais, o banco tem o orçamento de R$ 84 bilhões para financiar a compra e a construção de imóveis em 2017, valor superior a 2016, cujo orçamento foi de R$ 81 bilhões. O vice-presidente de Habitação da Caixa, Nelson Antônio de Souza, em entrevista à imprensa na segunda (22) garantiu o montante para 2017, mesmo com as incertezas políticas no país.

Caso a previsão de vendas da instituição se confirme, será o primeiro ano de estabilidade no feirão, após quedas nas vendas nos últimos anos em meio à crise econômica. Em 2015, foram R$ 11,0 bilhões em negócios fechados durante o evento, enquanto em 2014, esse montante chegou a R$ 15,6 bilhões.

Fonte: Correio