Bebê morto em naufrágio viajava para consulta médica

O bebê Davi Gabriel, de seis meses, saiu de Mar Grande para realizar  um exame dermatológico com um médico pediatra de Salvador. A viagem de Davi, no entanto, não chegou ao final. Ele estava na embarcação Cavalo Marinho I, lancha que naufragou  na manhã desta quinta-feira (24), durante  travessia para a capital baiana.

Acompanhado da irmã, Émile, de quatro anos, da mãe Ana Paula, e da avó, o bebê não conseguiu resistir ao acidente. Segundo o coordenador da Samu, Ivan Paiva, a equipe médica ainda tentou reanimá-lo. “Apesar de todo o esforço da pessoa que tentou reanimar a criança, sem estar com colete, num mar agitado, a chance de sobrevivência nessa idade e nessa situação é praticamente zero”, afirmou.

Na hora do acidente, Davi e a irmã caíram na água. “Ela ainda  conseguiu ser resgatada pelos marinheiros, mas ele não”, disse uma das tias das crianças, Joanita Cruz Santana, 38, durante a identificação do corpo do bebê, no Instituto Médico Legal (IML). Abalada, ela contou que a mãe das crianças ainda  tentou segurar as cordas da embarcação. Ana Paula e a avó do bebê  seguiram para a UPA de Mar Grande e passam bem.

Um primo de Davi, que preferiu não se identificar, também foi prestar solidariedades à família no IML. Ele contou ao CORREIO que assistia a notícias sobre a tragédia de Belém do Pará quando soube do que aconteceu com seus parentes. “Eu fiquei até pensando porque eles moram na ilha, mas não associei na hora”, disse, durante identificação do corpo da criança  na noite desta quinta-feira.

Fonte – Correio