Pescadores de Camaçari sofrem duro golpe da gestão, segundo bancada de oposição.

Um verdadeiro golpe contra os pescadores de Camaçari. Assim pode ser considerada a revogação da Lei Municipal nº 1.135 que garantia a uma parte da comunidade pesqueira do município um benefício durante os meses de junho, julho e agosto, quando as adversidades do tempo dificultam a pesca, prejudicando, assim, o sustento de diversas famílias.

 

A bancada de oposição, formada pelos vereadores Binho do Dois de Julho (PCdoB), Dentinho do Sindicato (PT), Jackson Josué (PT), Marcelino (PT) e Teo Ribeiro (PT), votou contra a revogação, bem como os edis Pastor Neilton (PSB) e Adalto Santos (PSD). No entanto, com maioria na Casa, os vereadores aliados do prefeito Elinaldo Araújo conseguiram que a lei fosse revogada.

Para o presidente da Cooperativa dos Pescadores de Camaçari, Ajax Tavares, a atitude dos parlamentares que votaram a favor da revogação, foi irresponsável. “Os pescadores incluídos no programa estavam dentro dos requisitos da Lei. Não existe nenhum conchavo, nem benefício a ninguém que não tenha direito. Portanto, essa votação foi antissocial e politicamente condenável”, disse.

Quem também lamentou foi o presidente da Colônia de Pescadores Z14, Manoel de Brito.” A revogação dessa lei vai causar um grande impacto, não só nos pescadores, mas em todas as famílias. Nenhuma dessas autoridades que votou contra vai para alto mar pescar e garantir o sustento dos seus familiares. Aonde está o coração desse povo?”, questionou.

Cientes do grande prejuízo que a revogação dos benefícios implica para a comunidade pesqueira, todos os vereadores da bancada de oposição fizeram uso da tribuna em defesa dos direitos dos pescadores. De acordo com o líder dos opositores, vereador Teo Ribeiro, “esta é mais uma prova da perversidade do governo do DEM com o povo de Camaçari”.

Ascom: Bancada de Oposição