Bahia empata com lanterna do Baianão e se complica no torneio

Noventa minutos e praticamente apenas uma jogada de perigo contra o gol adversário, já nos acréscimos da segunda etapa, em um bola na trave do meia Vinícius. Esse foi o desempenho do Bahia de Guto Ferreira neste domingo, 4, no empate sem gols contra o Jacobina, lanterna do Campeonato Baiano, no estádio José Rocha, pela quarta rodada da competição estadual.

O resultado deixa o Esquadrão na sexta posição do Baiano entre os dez times do torneio. São apenas cinco pontos conquistados em quatro partidas, com um triufo, dois empates e uma derrota. Já o Jacobina com o empate marca seu primeiro ponto na competição e se mantém como o último colocado do Baianão, empatado com o Atlântico, que tem melhor saldo de gols.

 

Na próxima rodada, o Bahia recebe na quarta-feira, às 18h30, o Vitória da Conquista, na Arena Fonte Nova, precisando vencer para se aproximar do G-4 do torneio, que avançará as semifinais do Baianão após a primeira fase.

 

Já o Jacobina tentará deixar a lanterna fora de casa também na quarta, às 20h30, contra o Fluminense de Feira no Joia da Princesa.

 

Sufoco

Se depender do futebol apresentado deste domingo, tanto Bahia quanto Jacobina terão muitas dificuldades em obter seus objetivos no estadual nas próximas rodadas.

Com a formação que começou a partida, o técnico Guto Ferreira tentou deixar o Esquadrão mais ofensivo, colocando no ataque do time inicial Allione pelo meio, Edigar Junio e Zé Rafael pelos lados, além de Kayke como homem de referência mais avançado.

 

Na primeira etapa, o Bahia até conseguiu dominar a partida, mas pouco converteu esse domínio em boas chances de gol. Em ritmo lento, o time não incomodou muito a meta do goleiro Lupita, e quando chegou, faltou um melhor passe ou posicionamento dos atacantes no momento da conclusão da jogada.

Foi assim aos 26 minutos, quando Léo Pelé chutou cruzado dentro da área e Edigar Junio não conseguiu chegar na bola, que cruzou a pequena área do Jacobina.

O melhor momento do Esquadrão na primeira etapa veio com o lateral Nino Paraíba, aos 36 minutos, com um forte chute defendido por Lupita para escanteio.

Quando o primeiro tempo parecia caminhar para o final sem maiores emoções, um vacilo do zagueiro Lucas Fonseca dificultou ainda mais a partida para o Bahia.

 

Após lançamento, o defensor tentou recuar de cabeça para o goleiro Douglas, mas acabou tocando fraco na bola. O atacante Michael foi atento na jogada e pegou a bola, sendo derrubado pelo goleiro Douglas na entrada da área. Apesar das reclamações dos jogadores do Jacobina por um pênalti, o juiz Jailson Macedo Freitas deu falta fora da área, mas acabou expulsando o arqueiro tricolor. Allione acabou então saindo para dar lugar ao goleiro reserva, Rafael Santos.

 

Mesmo com menos um atleta no segundo tempo, o Bahia repetiu a tônica do primeiro tempo: foi melhor que o Jacobina, mas não o suficiente para conseguir criar boas chances reais de gol.

 

Ainda assim, o Jegue da Chapada se aproveitou da superioridade numérica para tentar surpreender o Bahia, chegando a criar oportunidades para marcar aos 17 minutos com Kauê, em chute bloqueado por Lucas Fonseca, e aos 38 minutos, com Teco, em bola que passou perto do gol de Rafael Santos, que praticamente assistiu a partida em sua primeira atuação em jogo oficial pelo Esquadrão.

Fonte: A Tarde