São Paulo suspende contrato com goleiro Jean após caso de agressão

Foto: Maurício Rummens/Estadão Conteúdo

O São Paulo Futebol Clube confirmou que o contrato com o goleiro Jean Paulo Fernandes Filho será suspenso. Com a decisão, significa que o time não vai mais pagar salários ao jogador, nem indenização. Essa medida da suspensão do vínculo é possível até um determinado prazo de tempo.

Jean tem contrato com o São Paulo até 31 de dezembro de 2020. A suspensão foi definida em reunião ontem (9), com a presença de dirigentes do clube do Morumbi e os representantes do jogador: o advogado Breno Tanuri e o empresário Paulo Pitombeira.

-Publicidade-
-Publicidade-

Caso o vínculo entre o São Paulo e o atleta fosse rescindido sem uma demissão por justa causa, o time teria que pagar todos os valores do contrato válido até 2022.

Com a suspensão, o jogador pode exercer atividades por outras agremiações. O Ceará chegou a se interessar por Jean, mas recuou depois de manifestações da torcida e contratou Fernando Prass.

A decisão de afastar o goleiro aconteceu por conta da acusação de violência doméstica que ele responde na Justiça dos Estados Unidos. Jean agrediu a esposa, Milena Bemfica, com oito socos, enquanto passavam as férias na Florida. O jogador foi preso, mas foi solto sem pagamento de fiança após audiência em Orlando. A decisão foi baseada na promessa dele comparecer perante o tribunal em audiências futuras e em se comprometer a não se envolver em outras ações ilegais.

A Justiça norte-americana determinou que ele mantenha distância de Milena e permitiu contato com as filhas do casal, sob supervisão de terceiros. O processo continua na Justiça dos EUA.

Leia a nota na íntegra:

O São Paulo Futebol Clube comunica que nesta quinta-feira (9) firmou a suspensão do contrato de trabalho do atleta Jean Paulo Fernandes Filho. 

O contrato permanecerá suspenso até 31 de dezembro de 2020, período durante o qual o atleta poderá exercer atividades por outras agremiações em condições já estipuladas. Caso o jogador não seja contratado por um outro clube durante este período, o São Paulo Futebol Clube poderá decidir pela rescisão de contrato ao final deste ano de suspensão.

Apesar de ter a soltura determinada, Jean continuará a ser processado na Flórida pelo crime de violência doméstica. Ele também terá que manter distância da mulher, segundo determinação do tribunal. A Justiça permitiu que ele mantenha contato com as filhas, mas sob supervisão de terceiros.

-Publicidade-
-Publicidade-