Secretário da Cultura de Bolsonaro é demitido após usar discurso de ministro de Hitler

Foto: Ronaldo Caldas/ Secretaria de Cultura

Secretário da Cultura do Governo Bolsonaro, Roberto Alvim, deixou o cargo. A Secretaria Especial da Cultura informou, por meio de assessoria de imprensa, que Alvim foi demitido após parafrasear um discurso Joseph Goebbels, ministro da Propaganda de Hitler.

O secretário mencionou parte do discurso em vídeo publicado na noite desta quinta-feira (16), no Twitter, que trata do Prêmio Nacional das Artes – projeto no valor total de mais de R$ 20  milhões.


“A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada”, parafraseou Alvim no vídeo.

No discurso original, Goebbels dizia, segundo o livro “Goebbels: a Biography”, de Peter Longerich: “A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”.

A exoneração foi decidida após a repercussão do caso e manifestação pública de políticos, a exemplo do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que pediu a saída de Alvim.

Com informações da Folha de São Paulo

FICA_EM_CASA_BAKA