Exames dão negativos para coronavírus em brasileiros trazidos da China

Foto: Divulgação/ Josué Damaceno (IO)

Os testes realizados pelo Laboratório Central do Estado de Goiás (LACEN) nos 58 brasileiros trazidos da China, na Operação Regresso, deram negativos para o novo coronavírus (Covid-19). O Ministério da Saúde informou os resultados na noite desta terça-feira (11).

Os 34 repatriados e os 24 profissionais, divididos entre tripulação, Ministério da Saúde e comunicação, foram submetidos a exames, mesmo sem sintomas e sem infecção. A ação faz parte do protocolo definido entre os Ministérios da Saúde e Defesa.

-Publicidade-
-Publicidade-

O diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis da pasta, Júlio Croda, informou que todas as medidas preventivas estão sendo tomadas, seguindo protocolos internacionais.

“Foram realizados exames específicos para o novo coronavírus em todos, por precaução, inclusive com apoio dos órgãos internacionais”, disse o diretor, reforçando a rotina de monitoramento dos repatriados na base aérea de Anápolis (GO). “Durante a quarentena, os repatriados têm seus sinais vitais monitorados todos os dias, que consiste em verificar a frequência cardíaca, respiratória, pressão arterial e temperatura, além da presença de quaisquer sintomas, como febre, falta de ar e tosse”, destacou Júlio Croda.

Atualização de casos

O Brasil permanece sem registro do novo coronavírus, que já atinge 24 países além da China. Até o momento, oito casos suspeitos são monitorados pelo Ministério da Saúde, conforme informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde de todo o país, até terça-feira (11). Os casos suspeitos estão em Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (2), São Paulo (3), Paraná (1) e Rio Grande do Sul (1).

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, explicou que as análises dos casos suspeitos seguem os protocolos determinados. “O prazo obedece ao cronograma que temos trabalhado. Os pacientes ficam durante três dias, em média, fazendo os primeiros testes. Depois a gente tem mais três a quatro dias para fazer a conclusão do processo. A previsão da investigação completa é de uma semana, mas pode existir a necessidade de repetir testes e exames”, ressaltou.

Os casos descartados para investigação de possível relação com a infecção humana pelo coronavírus aumentaram para 33, um a mais em relação à última atualização. Esses descartes aconteceram principalmente por causa do resultado positivo para outros vírus respiratórios.

Informações do Ministério da Saúde