Bahia: veículos de carga e motocicletas são os mais envolvidos em acidentes graves nas rodovias federais em 2019

Foto: Divulgação PRF-BA

Em 2019 foram registrados 3.414 acidentes nas rodovias federais baianas, como revela balanço divulgado hoje pela Superintendência da Polícia Rodoviária Federal na Bahia (SPRF/BA).

O montante representou uma redução de 2,97% do número total de acidentes quando comparado ao ano de 2018, quando foram registrados 3.517 episódios. A principal causa, como revela a PRF-BA, foi a falta de atenção do condutor, responsável por 1.281 dos acidentes registrados. O balanço aponta, ainda, 468 mortes – desse total, 171 óbitos foram causados por colisão frontal entre veículos.

A polícia explica que as colisões frontais podem ser atribuídas, principalmente, às ultrapassagens em local proibido. No ano passado, 26.719 veículos foram flagrados realizando ultrapassagens desta natureza.

Dados chamam a atenção para a quantidade de acidentes graves envolvendo veículos de carga/caminhões/utilitários. Dos 1.123 acidentes graves registrados, 563 envolveram estes veículos. E quando se observa o número de colisões frontais que ocasionaram acidentes graves e óbitos, 251 no total, mais de 50%, o equivalente a 166, tiveram veículos de carga/caminhões no cenário. No tocante aos óbitos, 293 envolveram veículos pesados, 62,6%.

Quanto aos ciclos (motocicletas, motonetas, triciclos etc.), 1.221 acidentes envolveram estes veículos, sendo 498 acidentes graves com 164 óbitos (35,19%) em 2019. A BR-116 possui o maior número de registros de acidentes com motocicletas, foram 313 acidentes e 37 óbitos. Além disso, quase 3.961 motociclistas foram notificados por diversas irregularidades, dentre elas o não uso de capacete, não possuir carteira de motorista e realizar ultrapassagem proibida.

Do ponto de vista das rodovias federais que cruzam a Bahia, a maior incidência de acidentes foi na BR-116, com 867 (25,46%) acidentes, seguida da BR-101 com 793 (23,29%) e BR-324 com 696 (20,44%).

Em relação à gravidade, a BR-101 lidera o número de acidentes graves e óbitos, correspondendo ao montante de 305 e 124, respectivamente. As BRs 116 e 324 ficam logo em seguida, com 254 acidentes graves e 114 mortes (BR-116) e 141 acidentes de natureza grave e 38 óbitos (BR-324). Porém, em número de mortes a BR-242 superou o número registrado na BR-324, com 66 óbitos nos 135 acidentes graves registrados em 2019. Além disso, a BR 242 possui o maior índice de letalidade considerando a quantidade de acidentes que registraram óbitos (a cada 4,5 acidentes ocorre uma morte).

O balanço da SPRF-BA aponta que o mês mais de maior violência no trânsito em 2019 foi o de julho, com o maior número de acidentes registrados, 321 no total, e também de óbitos, 51, no ano de 2018 o mês foi janeiro, com356 acidentes e 54 pessoas mortas. Como comenta a polícia, observa-se que os dois meses correspondem ao período de férias escolares, muitas famílias pegam as estradas, seja para conhecer novos lugares ou visitar parentes, e isso gera um grande aumento no fluxo de veículos nas rodovias federais. Por essa razão a importância do condutor redobrar a atenção, respeitar à sinalização e realizar sempre ultrapassagens com segurança.

Os finais de semana, sábado e domingo, registraram mais acidentes, além disso, o período das 18h às 20h é o que possui o maior índice de mortes, 22,5% das mortes foram registradas neste intervalo de duas horas.

Álcool e direção

No tocante às infrações cometidas, chama atenção o número de condutores dirigindo nas rodovias federais baianas sob influência de álcool. Mais de 3 mil condutores foram notificados em razão da infração constante do artigo 165 e 165-A do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) que se refere à condução de veículo sob influência de álcool.

Na modalidade recusa, quando o condutor abordado se recusa a realizar o teste de etilômetro (bafômetro) foram 2.591 infrações – em 2018 o número correspondeu a 1.475. Já na modalidade constatação, quando o condutor realiza o teste de alcoolemia, foram registrados 665 autos de infração, enquanto em 2018 foram 726. Houve um aumento de 1.055 condutores notificados por alcoolemia ao volante em 2019, com um incremento de 1.116 infrações da modalidade recusa, ou seja, o condutor se recusa fazer o testo do bafômetro (etilômetro).

Das recusas, 729 delas foram registradas apenas na BR-324, seguida da BR-116 (582) e depois a BR-101 (482). No que toca à constatação, a BR-101 foi a que mais registrou esse tipo de infração, foram 162, seguida da BR-116 (111) e logo após a BR-242 (96). A BR-324 contou com 56 constatações, porém o número de recusas é muito alto, o que demonstra a quantidade de possíveis motoristas dirigindo sob influência de álcool. Além disso, 318 acidentes ocorridos em 2019 tiveram como causa provável a ingestão de álcool, sendo ainda responsável por 46 óbitos dos quais 10 aconteceram na BR 242. Mais de 10% dos acidentes envolvendo condutores embriagados ocasiona morte.

Em relação ao período, é no Carnaval que se flagra a maior incidência de embriaguez ao volante, nos dois anos consecutivos, o maior índice de infrações desta natureza foi no período carnavalesco, mês de fevereiro em 2018 com 316 autuações, 226 recusas e 90 constatações e mês de março em 2019 com 437 autuações, com 352 recusas e 85 constatações. No que tange ao total anual, considerando as duas modalidades da infração, houve um aumento de 47,93% quando comparado ao ano de 2018.