MP-BA recebe representações contra declarações de Igor Kannário

Foto: Secom BA

Ainda durante o plantão de Carnaval, o Ministério Público Estadual (MP-BA) recebeu, nesta terça-feira (25), representação do Estado da Bahia sobre as declarações do cantor Igor Kannário contra a Polícia Militar baiana feitas na segunda-feira (24), no circuito Osmar (Campo Grande), em Salvador.

No documento, a Procuradoria-Geral do Estado destaca que, além das palavras agressivas e de “baixo calão” contra os policiais, o cantor proferiu as frases do alto de um trio elétrico para uma multidão, “fato que poderia causar a incitação da população contra a Polícia Militar e comprometer a segurança da festa”.

-Publicidade-
-Publicidade-

Na representação, o Estado pede ao MP que acione penalmente Igor Kannário pelos crimes de calúnia e difamação (artigos 138 e 139 do Código Penal brasileiro). O MP baiano analisará o pedido e adotará as medidas que entender cabíveis.

Rui Costa

O governador Rui Costa (PT) já havia informado que acionou, também na terça-feira, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) para que o órgão adotasse as medidas legais cabíveis no caso envolvendo o cantor e deputado federal Igor Kannário (DEM).  A PGE entrou com uma representação junto ao Ministério Público da Bahia. O órgão considera o fato gravíssimo, por atentar contra a ordem pública, no uso de um trio elétrico patrocinado pelo erário municipal.

“É inaceitável o ato público de desrespeito e agressão contra a Polícia Militar da Bahia registrado ontem no Campo Grande. Acionei a Procuradoria Geral para que o Estado formalize uma representação junto ao Ministério Público da Bahia a respeito deste fato. Medidas cabíveis que estiverem no âmbito do MP precisam ser tomadas em respeito à PM e em defesa da honra de pais e mães de família que fazem parte da corporação”, disse Rui em seu perfil oficial no Twitter.

O caso

De cima do trio, o cantor pediu uma vaia para a PM, quando puxava a pipoca no Campo Grande. Kannário criticou a abordagem da polícia aos foliões, que passaram com agressividade para desfazer uma rodinha.

“Peço à imprensa, filma isso aí. Isso é abuso de poder, aubuso de autoridade. Quero uma vaia para a Polícia Militar da Bahia”, afirmou o cantor. Os foliões vaiaram e depois gritaram “Uh, é o Kannário”. “Agressores, agressores! Venha me bater aqui em cima. Quero ver!”, provocou.

Logo em seguida ele retomou a música Embrazando e falou que a PM pode fazer algo contra ele. “Se acontecer alguma coisa comigo, quem mandou me matar foi alguém da Polícia Militar”, acrescentou. Ainda durante o percurso, o deputado federal disse:”Abre aí para esses bunda-mole passarem”; se referindo à PM.

Igor Kannário se manifestou por meio de nota:

“O deputado federal Igor Kannário vem a público esclarecer os fatos ocorridos nesta segunda-feira (24) durante a passagem da pipoca do cantor pelo circuito Osmar (Campo Grande). Kannário informa que, ao observar um tratamento agressivo de alguns policiais militares contra foliões, solicitou uma abordagem adequada dos profissionais. O deputado ressalta seu respeito e admiração pela instituição Polícia Militar, que tanto se dedica diariamente aos baianos. Contudo, Kannário enfatiza que não irá se calar quando excessos forem cometidos, como ocorreu nesta segunda. O parlamentar baiano frisa, ainda, que este foi um caso pontual da atuação da PM durante a passagem da pipoca do Kannário pelo Campo Grande. Inclusive, no início do desfile, o cantor pediu aplausos para a PM e para os policiais que estão trabalhando arduamente neste Carnaval. Destaca também que sua pipoca foi, mais uma vez, um grande sucesso de público, com uma linda festa no circuito Osmar, marcada pela paz e pela diversão dos foliões. Mantenho meu imenso respeito pela Polícia Militar, valorosa instituição que tanto orgulha a Bahia. Mas ressalto que não vou me calar diante dos excessos, ainda mais contra a minha pipoca, que saiu das favelas para fazer uma festa linda na Avenida. Sou um político que tenho lado, e meu lado é o povo”.