Coronavírus: restaurantes, lojas e setor de serviços aderem ao delivery e atendimento online em Camaçari

Foto: Reprodução

Para se adequar a atual situação de enfrentamento à pandemia de coronavírus (Covid-19), bares, restaurantes, lojas e setor de serviços de Camaçari adotaram ou intensificaram os serviços de delivery e online. Com a orientação de quarentena (isolamento), o número de clientes nos ambientes físicos tem sido cada dia menor.

Em comunicados, alguns restaurantes informam que continuam as atividades no espaço físico e que adotaram medidas como a utilização e disponibilidade do álcool em gel; aumento da quantidade de sabão nos banheiros e ampliação do espaço mínimo de dois metros entre as mesas, como o recomendado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). Na entrega, os estabelecimentos asseguram a higienização de embalagens e maquinetas.

“Estamos correndo para nos adaptar à nova realidade. Aumentou muito o serviço de delivery e quem vem ao estabelecimento, compra e logo sai. Mas, aqui dentro, estamos tomando muitas medidas. Já diminuímos o número de mesas, por exemplo”, comenta Aline Guedes da Bibi Gourmet.

No restaurante Rei do Pirão, o serviço de entrega começou a funcionar esta semana. “Nós adotamos o delivery na terça-feira, quando vimos que alguns lugares começaram a ficar sem aula e a gente viu que ia haver essa demanda de pessoas em casa. A gente pretendia fazer isso, mas não assim tão rápido”, fala Daniela Paz, proprietária do estabelecimento, ao assegurar que o cuidado com a higienização foi triplicado.

Porém, engana-se quem acha que o delivery foi adotado apenas por bares e restaurantes. Para superar a baixa do volume de vendas, a Thy Brinquedos passou a oferecer o serviço. “O shopping não tem cliente. Estamos vendo uma maneira para continuar vendendo neste momento de crise”, pontua Márcia Rodrigues.

“Estamos fazendo o precisa ser feito. Por isso, já estamos trabalhando com atendimentos online e orientando os nossos clientes, amigos e parceiros com medidas de prevenção”, conta Uelberte Reis, da imobiliária Feliz Casa Nova.