Coronavírus: Hospital Santa Helena fará atendimento emergencial de trabalhadores do Polo

Foto: Divulgação

O Hospital Santa Helena passa funcionar como unidade base de atendimento para os trabalhadores do Polo Industrial de Camaçari a partir desta semana. A parceira foi firmada no último final de semana com o Comitê de Fomento Industrial de Camaçari (Cofic), por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Segundo o diretor Médico do Grupo, Dr. Raimundo Pinheiro (Cremeb 4952), e especialista em Medicina do Trabalho (RQE 13360), o acerto com o Cofic garante o atendimento de base aos 45 mil trabalhadores que circulam diariamente no Polo.

-Publicidade-
-Publicidade-

“A Emergência e o Hospital Santa Helena vão oferecer para os trabalhadores do Polo e Região Metropolitana de Salvador toda a assistência médica suplementar necessária, servindo de base para o atendimento emergencial de qualquer tipo de demanda, e também nas questões relativas ao coronavírus, com segurança de que haverá leito para essas pessoas. Vamos oferecer atendimento de emergência, internamento em enfermaria aberta e internamento em unidade intensiva”, garante Pinheiro.

Como o Polo é responsável por 1/3 do PIB da Bahia, exportando tantos produtos básicos e matérias-primas, quanto finais, para 120 países do mundo, boa parte das empresas que compõem o equipamento não vai parar as atividades.

No Polo, os primeiros socorros serão realizados por uma equipe do próprio Cofic, que já conta com duas ambulâncias com UTI para atendimento e resgate, e brigada de emergência. Depois, os pacientes serão transportados para o Hospital Santa Helena.

“Hoje, de cada 1.000 pessoas infectadas com o coronavírus, 850 não vão precisar de pronto atendimento e deverão ir para casa com orientações de isolamento doméstico e cuidados com os idosos residentes no mesmo local, como não estabelecer contato físico. Os demais 150 pacientes precisarão de atendimento em emergência, podendo contar com a estrutura e equipe médica altamente especializada do Hospital e Emergência Santa Helena”, afirma Raimundo Pinheiro.