Gestão municipal avalia ampliação de leitos para enfrentamento da Covid-19 em Camaçari

Preocupado com o aumento do número de casos confirmados do novo coronavírus no município, o prefeito Elinaldo Araújo participou de uma reunião, na manhã desta segunda-feira (25/5), com a equipe técnica da Secretaria de Saúde (Sesau) a fim de avaliar o cenário atual, referente às medidas para conter o avanço de casos de pacientes positivos para o vírus. O gestor municipal considerou a viabilização de ampliação da quantidade de leitos de enfrentamento da Covid-19 para evitar um colapso no sistema de saúde de Camaçari. De acordo com o último boletim epidemiológico, até este domingo (24/5), já foram registrados 150 casos, somando com os confirmados, recuperados e óbitos.

“Estou atento a tudo que vem acontecendo na nossa cidade e também pelo país, observando cada cenário e neste momento a nossa prioridade é salvar vidas. Precisamos correr contra o tempo e aproveitar para reforçarmos todas as medidas para o enfrentamento deste vírus e garantir que a população possa contar com o melhor tratamento. Por isso, convoquei a todos para solucionarmos esse problema o quanto antes”, destacou o prefeito Elinaldo Araújo, que segue comprometido em combater o avanço da pandemia do coronavírus.

-Publicidade-
-Publicidade-

A reunião foi dividida em dois momentos, o primeiro para tratar sobre o fluxo da taxa de ocupação no Centro Intensivo de Combate ao Coronavírus (CICC), unidade que funciona na antiga Clirca, situado na Avenida Deputado Luís Eduardo Magalhães. Durante o encontro, o gestor recebeu os representantes do Instituto de Gestão e Humanização (IGH), que dialogaram sobre as possibilidades de ofertar mais leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Já com o Grupo Santa Helena, na perspectiva de também disponibilizar os mesmos tipos de leito, porém na rede particular. Ambas as propostas ainda serão apresentadas ao chefe do Executivo no decorrer da semana para estudo e apreciação do gestor.

Inaugurado no início deste mês, o Centro Intensivo está equipado com 21 leitos, sendo que 10 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), seis de semi-UTI e cinco de recuperação. O secretário da Sesau, Luiz Duplat, aproveitou para pontuar que, “o que nos chama mais atenção neste momento são os casos ativos, que são aqueles casos confirmados e os pacientes estão em isolamento domiciliar ou hospitalar. Portanto, precisamos ter todo o cuidado e cautela para que não ocorra um estrangulamento ou saturação do nosso sistema de saúde”, observou.

A diretora de Controle e Regulação do SUS, Elba Brito, detalha como vem sendo realizado os antedimentos de pacientes suspeitos da Covid-19, no município. “Os pacientes precisam procurar atendimento nas unidades de porta aberta, de urgência e emergência, ou seja, nas UPAs e PAs. Então, as duas unidades de referência ao coronavírus, que são o Centro Intensivo e Intermediário, são de porta fechada. O que significa que o paciente só adentra e ocupa esse leito se for autorizado pela regulação municipal de leitos. Então, a equipe que atendeu o paciente na urgência faz a requisição de leito via sistema, justifica e a central autoriza ou não esta regulação, e desta forma o leito é ocupado”, explicou.

No segundo momento da reunião, o prefeito e a equipe técnica da Sesau conversaram sobre os últimos ajustes para a inauguração do Centro Intermediário de Enfrentamento ao Coronavírus, que será em breve entregue à população. O equipamento está sendo montado no antigo Hospital da Mulher, no bairro Parque Verde I. “Com o funcionamento do Centro Intermediário haverá uma folga na nossa capacidade de leitos que temos atualmente”, salientou Duplat.

Fonte – Decom / PMC

-Publicidade-
-Publicidade-