Nota do Tamar desmente extinção da base de Arembepe

A população de Camaçari reagiu com surpresa e indignação à suposta perda da base da Fundação Projeto Tamar, em Arembepe. Segundo notícias que começaram a ser veiculadas na tarde de quinta-feira (28/05), a unidade seria extinta através da portaria Nº 554, de 25 DE maio de 2020, publicado no Diário Oficial da União (DOU). Além da importância ambiental da unidade instalada no município, o Centro de Visitantes criado em 1992, promove ações educativas, recebendo uma quantidade aproximada de 3 mil turistas por mês durante o período do verão.

O anúncio mobilizou a gestão municipal, que entrou em contato com os órgãos oficiais em reação ao decreto. Após contato com a unidade regional da Fundação, a secretária do Turismo de Camaçari, Lucia Bichara, desfaz o mal entendido. “A portaria refere-se ao escritório do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que funcionava na entrada da comunidade de Arembepe, não tem nenhuma relação com a Fundação Pró-Tamar/ Projeto Tamar. Estou em contato constante com o trade turístico e as instituições de proteção ambiental, posso garantir que o trabalho do Tamar continua a ser desenvolvido em Arembepe”, garante a secretária.

-Publicidade-
-Publicidade-

A manutenção da base também foi confirmada pelo presidente do ICMBio, Homero de Giorge Cerqueira, em nota. No documento, o presidente do Instituto escreve que “a informação veiculada pela mídia, referente ao fechamento das Bases do Projeto Tamar está equivocada”. De acordo com Homero, as propostas de encerramento das atividades das bases relacionadas na portaria, têm como objetivo “a ideia de melhor alocação de recursos”.

Com a repercussão do caso, o Projeto Tamar/Fundação Pró-Tamar também lançou um comunicado oficial sobre a Portaria 554, informando que “não se refere às estruturas do Projeto Tamar/Fundação Pró-Tamar localizadas no Rio Grande do Norte, Sergipe e Bahia”. A instituição informa ainda, que houve mudanças internas, no entanto, relacionadas ao momento vivido pelo país. “Devido à pandemia da Covid-19, todas as nossas atividades foram temporariamente suspensas e todas as nossas estruturas de arrecadação (Centro de Visitantes e Lojas) estão fechadas”, consta em outro trecho do documento.

Tamar Arembepe

O Projeto Tamar Arembepe conta com museu interativo equipado com TV e vídeo, dioramas educativos, cascos de tartarugas marinhas e o Ecosub, submarino construído de materiais recicláveis e que reproduz o fundo do mar. O espaço possui também, tanques de observação das tartarugas e de toque de animais marinhos, modelo de cercado de incubação de ovos, além de outros elementos de sensibilização e informação.

Para grupos pré-agendados, oferece ainda, visitas guiadas com especialistas que repassam informações detalhadas sobre a conservação e a proteção das tartarugas marinhas em todas as fases do ciclo de vida. No local, cerca de 300 mil filhotes são protegidos e liberados, por ano. Os interessados podem visitar a base após as medidas de isolamento social, aos sábados, domingos e feriados, das 9 às 12hs e das 13 às 17hs.

Ascom: PMC